Carregando

Correspondência

Celso Kelly

Projeto Portinari

Projeto Portinari
Rio de Janeiro, Brasil

Pede que Portinari retorne no início de janeiro, por conta de assunto que diz respeito ao Conselho (?), a um sorteio (?), sugerindo que o pintor peça uma ordem de habeas-corpus junto ao Supremo Tribunal Militar, provando residir no Rio. Comenta ter escrito página a ser publicada sobre o ano artístico, pedindo que Portinari dê ordem, em sua casa no Rio, para lhe envirem um álbum que uma conhecida comum havia entregue ao pintor.

Mostrar menosMais informações
  • Título: Correspondência
  • Criador: Celso Kelly
  • Data de criação: 1900-12-25
  • Local: Brodowski SP, Rio de Janeiro RJ
  • Procedência: Acervo do Projeto Portinari
  • Palavras-chave do assunto: Vida Pessoal, Viagens, Brodowski, SP, Vida Política, Perseguição política, Brasil
  • Transcrição: CO-1345 Kelly, Celso. [Carta, 19--] dez. 25, Rio de Janeiro, RJ [para] Candido Portinari, Brodowski, SP. [manuscrito] Meu caro Portinari Escrevo-lhe em pleno Natal. No grande di, os amigos são especialmente lembrados. Entre nós, colocados à distância, os presentes só são notícias: vou dar-lhe uma, magnífica e já, de certo modo, prevista. O caso do Conselho caminha otimamente e só depende de sua chegada, para definitivo entendimento. Desejaria que V. voltasse, sem mais tardar, nos primeiros dias de janeiro. Seria incapaz de pedir a sua vinda imediata: quero-a apenas transcorra o ano. Dentre dois ou três meses estará tudo resolvido. Foi essa a primeira preocupação que tive, após os exames: eles tiveram o costumeiro resultado, de modo que, agora, não mais carrego comigo o eterno temor de quem se vai submeter a qualquer julgamento. Atualmente, trabalho para os amigos, produzindo algumas pilhérias artísticas, que o esperam aqui. Quanto ao seu sorteio, de que teve V. tão extemporâneo conhecimento no caso de ser detido, convinha pedir uma ordem de hábeas-corpus ao Supremo Tribunal Militar, provando residir no Rio. Mas, praticamente, a volta para aqui é mais produtiva havendo ainda a circunstância de saber se V. é sorteado pelo Rio. Tudo isso, em última análise, não é coisa que ponha ninguém nervoso. A alma de um grande artista, por certo, se sentirá mal, dentro de um regime de regras estabelecidas, positivadas, profundamente militar. Se isso se realizasse, constituiria uma irônica maldade dos passadistas... Incumbido pelo jornal, cujo aniversário se comemorará a 29 do corrente, escrevi uma página sobre o ano artístico. As mesmas opiniões , que eu sempre gasto em palestra, agora rebuscadas em forma mais clara e compreensível, formaram a pseudo crítica. Como deve prever , “o glorioso jovem da pintura brasileira” saiu em cena. Esquecê-lo seria retirar do “Salão” o grande Portinari. Recebi um pedido para transmitir-lhe: Lourdes, uma colega que temos, deu-lhe (já lá se vão vários meses) um álbum, para que, nele, pintasse,. Sucede que ela deve partir para o Sul, em começos de janeiro, e serviu-se de nossa amizade, a fim de que eu arrancasse o álbum. Tendo desejo de satisfazer a esse pedido, peço-lhe que V. escreva, para sua casa do Rio, autorizando alguém a entregar-mo. Assim, tudo se resolveria a mil maravilhas, repondo eu nas mãos de sua legítima dona, o álbum adormecido em sua residência. Mesmo que, nele, V. nada haja feito, mande ordem para que m’o enviem. Esses incômodos todos são devidos apenas à sua notabilidade: males de quem é notável. Escreva-me dando resposta a tudo de que acabo de tratar. Enviando afetuoso abraço, no grande dia, manifesto-lhe o desejo de que tenham V. e sua Exma. família, um ano felicíssimo. Do C. Kelly 2
  • Tipo: carta
  • Editora: Projeto Portinari
  • Link externo: http://www.portinari.org.br
  • Direitos: Celso Kelly
  • Tipo de dado na Coleção: CO
  • Número: 1345

Itens adicionais

Recomendado

Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil