A carregar

Frontal de altar

1625/1650

Museu Nacional do Azulejo

Museu Nacional do Azulejo

Frontais de altar eram painéis de azulejo rectangulares que revestiam a parte do altar que estava de frente para os fiéis, imitando ricos panos com os seus bordados e franjas. Este painel tem o pano central tripartido, foi feito em Lisboa cerca de 1650 e tem motivos inspirados nos tecidos importados da China e da Índia, com paisagens exóticas cheias de peónias e outras flores, frutos, veados, macacos, pavões, pássaros e até um pagode chinês, aglomerando-se num espaço acanhado como se houvesse horror ao vazio. Nesta interpretação cristã, a paisagem pretende lembrar o Paraíso. Embora os motivos estejam pintados a azul e verde sobre fundo branco, a cor predominante é a amarela para lembrar a riqueza do ouro dos bordados e das franjas dos tecidos. Uma das características mais originais da azulejaria portuguesa é a capacidade de incluir motivos de outras culturas, juntando-os a elementos de origem nacional ou europeia com novos significados. Estes frontais de altar que começaram a surgir em meados do século XVII são exemplos disso. Produção de Lisboa.

Mostrar menosLer mais
  • Título: Frontal de altar
  • Data de Criação: 1625/1650
  • Localização: Em depósito no MNAz, Museu Nacional do Azulejo (coleção Museu Nacional de Machado de Castro)
  • Dimensões físicas: 92 cm x 176 cm
  • Proveniência: Convento Carmelita da região de Coimbra
  • Material: Faiança policroma

Recomendado

Página Inicial
Explorar
Próximo
Perfil