A carregar

Painel de padrão com borboletas

Rafael Bordalo Pinheiro1905

Museu Nacional do Azulejo

Museu Nacional do Azulejo
Lisbon, Portugal

A par de Lisboa, Porto, Gaia e Aveiro, no último quartel do século XIX as Caldas da Rainha afirmou-se como um importante centro de produção cerâmica, revitalizado quando, em 1883, o caricaturista e ilustrador Rafael Bordalo Pinheiro (n. 1846 - m. 1905) enveredou pela atividade de ceramista ao aceitar dirigir a Fábrica de Faiança, que começaria a laborar em junho de 1885. Na continuidade da sua obra gráfica, Bordalo Pinheiro utilizou o objeto cerâmico como arma de contestação do Regime monárquico, dando corpo a uma série de figuras críticas da política e da sociedade do tempo. Desenvolveu cerca de duas centenas de modelos tridimensionais, numa obra influenciada pelo revivalismo internacional da cerâmica do artista francês Bernard Palissy (n. c.1510 - m. c. 1589), já presentes na tradição local, e que viria a reformular de acordo com um gosto eclético e revivalista. Assim, várias correntes estéticas internacionais da segunda metade do século XIX foram reelaboradas num espírito assumidamente português, inspirado também na arte árabe e manuelina do século XVI. As influências Arte Nova recebidas diretamente em França, mas tardias no trabalho de Bordalo Pinheiro, tiveram expressão quer na criação de peças tridimensionais, quer no azulejo.

Mostrar menosLer mais
  • Título: Painel de padrão com borboletas
  • Criador: Rafael Bordalo Pinheiro / Fábrica de cerâmica das Caldas da Rainha
  • Data de Criação: 1905
  • Localização física: MNAz, Museu Nacional do Azulejo, Lisboa, Portugal
  • Dimensões físicas: 88.5 cm x 50.5 cm
  • Proveniência: Panificação de Campo de Ourique, Lisboa
  • Material: Barro moldado e vidrado com esmaltes policromos

Recomendado

Página Inicial
Explorar
Próximo
Perfil