A carregar

Imagens de uma religiosidade fervorosa, aparentemente exacerbada pela catástrofe decorrente do grande Terramoto de 1755, os painéis de azulejos denominados "registos", simulando pinturas e construções retabulares, pontuaram não só as fachadas de igrejas, capelas e ermidas, mas também edifícios particulares, que assim procuravam encomendar proteção contra os desastres naturais e desgraças daí decorrentes. Através deles, o espaço laico das ruas das cidades transforma-se, tornando-se, em permanência, local de devoção e oração. Caso raro de utilização de um tom púrpura violáceo num "registo" é o Santo António, que simula uma escultura na sua peanha de talha dourada. Singular na forma, desconcertante no predomínio e contraste do branco face à rara dominante púrpura, este é um dos "registos" mais invulgares que se conhecem. Produção de Lisboa.

Detalhes

  • Título: Santo António com o Menino
  • Data de Criação: 1750/1775
  • Localização física: MNAz, Museu Nacional do Azulejo, Lisboa, Portugal
  • Dimensões físicas: 98 cm x 112 cm
  • Tipo: Azulejo
  • Material: Faiança a púrpura e amarelo sobre branco

Obter a aplicação

Explorar museus e desfrutar de funcionalidades como o Art Transfer, o Pocket Galleries e o Art Selfie, entre outras

Recomendado

Google Apps