A carregar

Santo António com o Menino

1750/1775

Museu Nacional do Azulejo

Museu Nacional do Azulejo

Imagens de uma religiosidade fervorosa, aparentemente exacerbada pela catástrofe decorrente do grande Terramoto de 1755, os painéis de azulejos denominados "registos", simulando pinturas e construções retabulares, pontuaram não só as fachadas de igrejas, capelas e ermidas, mas também edifícios particulares, que assim procuravam encomendar proteção contra os desastres naturais e desgraças daí decorrentes. Através deles, o espaço laico das ruas das cidades transforma-se, tornando-se, em permanência, local de devoção e oração. Caso raro de utilização de um tom púrpura violáceo num "registo" é o Santo António, que simula uma escultura na sua peanha de talha dourada. Singular na forma, desconcertante no predomínio e contraste do branco face à rara dominante púrpura, este é um dos "registos" mais invulgares que se conhecem. Produção de Lisboa.

Mostrar menosLer mais
  • Título: Santo António com o Menino
  • Data de Criação: 1750/1775
  • Localização física: MNAz, Museu Nacional do Azulejo, Lisboa, Portugal
  • Dimensões físicas: 98 cm x 112 cm
  • Tipo: Azulejo
  • Material: Faiança a púrpura e amarelo sobre branco

Recomendado

Página Inicial
Explorar
Próximo
Perfil