Loading

Untitled

Iberê Camargo1982

Iberê Camargo Foundation

Iberê Camargo Foundation

Este desenho serviu de base para a confecção de tapeçaria. Em seu ateliê, Artesanato Guanabara, Maria Ângela de Almeida Magalhães orientava 70 bordadeiras que executavam tapeçarias a partir de cartões criados por artistas. As de Iberê também figuram no livro Aspectos da Tapeçaria Brasileira, de Geraldo Edson de Andrade (Spala, 1977 e Funarte, 1979).

"Uma noite, nos anos 1970, atendi a um telefonema, em que Iberê ia direto ao assunto. Vira uma exposição de tapeçarias na Galeria Grupo B, ao lado do seu ateliê, e pensava em fazer a experiência. Gostaria de mostrar-me um desenho erótico que havia feito. [...] Iberê nos mostrou uma série de desenhos e, finalmente, o que escolhera. O assunto era forte, mas tratado com talento. Eu fiz a tapeçaria. [...] Eram fios divididos de lã pura, misturados à seda, ao algodão, às texturas rústicas, às mais delicadas e finas linhas de bordar. Sem preconceito, buscando a composição da cor, já que, no que fazíamos, a cor era o principal desafio. [...] Cada tapeçaria gastou, em média, seis meses de trabalho. [...] A atitude de Iberê conosco sempre me surpreendeu pela entrega, confiança e respeito, fazendo com que ele, dono absoluto de suas coisas, fizesse parte de nossa equipe numa cumplicidade, sem discriminação pelo papel de cada um."
MAGALHÃES, Maria Angela de Almeida. In: Iberê e a tapeçaria. Estudos Avançados, São Paulo, vol. 7, n. 17, jan.-abr. 1993.

"O desvendar do mistério – Iberê começou, para mim, quando ousei, a partir de seus cartões, fazer tapeçarias. Percorri o caminho do seu gesto, percebi o requinte das transparências, o vigor dos grafismos, a invenção das cores. Dessa época, guardo uma delicada impressão de muito respeito.
Vejo-o na humana convivência com as bordadeiras, vejo-o na plena atenção, cartão em punho, a acompanhar as soluções dadas. Responsável único pelo destino de tudo o que faz, a aceitar o trabalho de equipe e a assumi-lo, conosco.
Há uma condição comum às amizades do Iberê. É a de uma amorosa relação que se estabelece a partir do entendimento da pessoa do Iberê, admiração incondicional pelo artista e carinho pelo ser humano. Porque não é fácil ser Iberê Camargo. A construção de uma pessoa é tarefa de fidelidade de uma vida toda. Iberê se constrói com rigor e intensidade. E é, certamente, a representação viva das figuras fortes e suaves, de dramáticos contrastes, que ele mesmo pinta.
Como no seu trabalho, ele não faz a si mesmo concessão alguma. Nada nele é leviano ou supérfluo. Ele é a pura expressão de uma verdade interior, a vivência da paixão que tem pela vida. Exerce a sua gentileza, que não é a das convenções sociais, e é generoso ou rude, correspondendo ao que, espontaneamente, sente. É nesse compromisso com o próprio ser que está a chave da compreensão do seu caráter. Quem for capaz de entender, estará cativo para sempre."
MAGALHÃES, Maria Angela de Almeida. In: BERG, Evelyn. Iberê Camargo: coleção contemporânea 1. FUNARTE, Instituto Nacional de Artes Plásticas/ Museu de Arte do Rio Grande do Sul: Rio de Janeiro, 1985. p. 47. (Depoimento).

Show lessRead more
  • Title: Untitled
  • Creator: Iberê Camargo
  • Date: 1982
  • Location: Rio de Janeiro
  • Physical Dimensions: 25,3 x 36,3 cm
  • Type: Drawing
  • Rights: © Fundação Iberê Camargo
  • Medium: Wax crayon on cardboard
  • Técnica: Giz de cera sobre cartão
  • Credit: © Fábio Del Re_VivaFoto
  • Collection: Maria Coussirat Camargo, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre
  • Accession number: D1154

Recommended

Home
Explore
Nearby
Profile