Alceu Penna: o ilustrador da moda brasileira

Museu da Moda Brasileira

O ícone da moda
Figurinista, ilustrador, desenhista e designer, Alceu Penna, lançou tendências e influenciou gerações, com seus traços ousados e cores vibrantes. Tornou-se um ícone da moda brasileira entre as décadas de 30 e 70, fazendo história e influenciando não só a moda nacional mas a identidade do povo brasileiro.

Alceu de Paula Penna (1915- 1980) nasceu na cidade de Curvelo/MG, onde viveu até sua adolescência. Na imagem, a Matriz de Santo Antônio, no centro da cidade.

Em janeiro de 1932, Alceu mudou-se para o Rio de Janeiro para cursar arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes , cidade na qual viveu até o fim de sua vida.

Ao mesmo tempo em que cursava a faculdade, Alceu procurava emprego como desenhista em revistas e jornais no Rio de Janeiro.

O primeiro a contratá-lo foi O Jornal em 1933 , onde publicou uma série de ilustrações.

Após o primeiro trabalho no "O Jornal", Alceu ilustrou outros periódicos e ganhou evidência com artigos sobre moda e comportamento .

Ele foi um artista gráfico de grande influência para a moda brasileira, produzindo inúmeros desenhos e croquis.

Muitos desses desenhos foram publicados em periódicos de grande circulação nacional, com destaque para a revista O Cruzeiro .

Além dos desenhos de moda, contribuiu para criar uma “visualidade brasileira” que estampou diversas capas de revistas de renome no Brasil, como 'O Cruzeiro', 'A Cigarra' e 'Tricô e Crochê'.

Também criou inúmeros cenários e figurinos para shows em cassinos, teatros, cinema e televisão, bem como, fantasias para escolas de samba, estamparias para a indústria têxtil e coleções de moda, como a Rhodia e Ducal .

Garotas do Alceu
Entre as décadas de 30 à 60, Alceu foi responsável por uma coluna de moda na Revista 'O Cruzeiro'. A partir de 1941, quando sua coluna passou a ser semanal, seu nome e figura ganharam ainda mais notoriedade.

Durante o tempo de participação na revista, Alceu criou a série semanal intitulada Garotas , que ocupou lugar de destaque nas edições semanais da revista O Cruzeiro .

As Garotas do Alceu , como ficaram conhecidas, eram representadas com roupas e em ambientes tipicamente cariocas, como praias, cinemas, bailes, etc.

Seus trabalhos tinham como característica traços que variavam entre o lúdico e o sensual , compondo um modelo de moda, beleza e comportamento, enfatizando a mulher carioca e suas peculiaridades.

Durante seu período como colunista de revistas, Alceu realizou diversas viagens internacionais, com o propósito de frequentar desfiles de moda de alta costura , rascunhando os modelos das passarelas e trazendo novas tendências para o cenário brasileiro.

Coleções para Rhodia
No início de 1960, Alceu participou de um evento promovido pela revista "O Cruzeiro" e pela empresa multinacional francesa Rhodia, onde desenhou as roupas para um desfile de moda inspirado no café brasileiro.

Esse evento foi um sucesso e deu início à parceria de Alceu Penna com a empresa Rhodia, conhecida por seus desfiles-shows .

A empresa era especializada em tecidos sintéticos, tendo lançado o náilon em 1955, e lançando no mercado nacional uma grande variedade de fios e texturas.

Além da coleção café, Alceu desenvolveu outras temáticas para os eventos da marca.

A partir dos desfiles-shows realizados na Feira Internacional da Indústria Têxtil (FENIT) que a empresa Rhodia começou a deixar sua marca na moda brasileira, utilizando temas que buscavam promover uma identidade nacional.

Uma das principais coleções da empresa Rhodia, foi lançada no ano de 1972 quando diferentes artistas e estilistas criaram estampas e modelos com o tema Brazilian Nature .

As endiabradas
Alceu Penna ficou eternizado na moda brasileira por meio de suas ilustrações e modelos que transmitiram os gostos e estilos da moda nacional e internacional, atravessando décadas e ajudando a criar o estilo brasileiro.
Créditos: história

Casa da Marquesa de Santos/ Museu da Moda Brasileira - Patricia Castro
Fundação Anita Mantuano de Artes do Rio Janeiro -

Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro André Lazaroni

Superintendência de Museus
Raphael Hallack Fabrino

Curadoria
Clara Paulino
Patricia Castro
Thais Pucu
Ingrid Fiorante

Montagem
Clara Paulino
Laura Ghelman

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil