"Por afetos" reúne artistas modernos e contemporâneos que apresentam em comum, dentro de um recorte do Acervo Mamam, uma relação com a memória afetiva e os estados emocionais.

Do quadro de contemporâneos desse agrupamento poético, damos destaque as duas fotografias da série A Coleta da Maresia, da artista carioca Brígida Baltar.

Para a curadora e professora da UFPE Maria do Carmo Nino (2015), A Coleta da Maresia “ressalta mais a condição fenomenológica do que a estética, ao propor, via fotografia, a sensação subjetiva e afetiva implícita no ato de coleta de algo imponderável como maresia ou orvalho”.

Em Bestiário Íntimo, Efraim Almeida, evoca a delicadeza e fragilidade da primeira infância ao observar filhotes de pássaros em seus ninhos.

Esses trabalhos foram incorporados ao Acervo do Mamam a partir de uma política de fortalecimento da arte contemporânea no Museu iniciada em 2001, na Gestão de Moacir dos Anjos.

No time das obras modernistas, destacamos os trabalhos dos irmãos do Rêgo Monteiro: Fedora, Joaquim e Vicente.

Vicente do Rêgo Monteiro compõe a Coleção com 22 trabalhos – 11 pinturas (aqui apresentadas) e 11 caligramas.

Em seus quadros, as relações de afetos são permeadas fortemente pela memória cultural do artista.

Com gravuras em metal, a artista Tarsila do Amaral fecha esse recorte afetivo da Coleção Mamam, retratando, em consonância com sua fase Pau-Brasil, um Brasil rural, com suas vilas e natureza.

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil