A Casa da Marquesa de Santos e as coleções do Museu da Moda

Considerada como Joia arquitetônica e das artes decorativas neoclássica do Rio de Janeiro, a Casa da Marquesa de Santos foi presente do Imperador D. Pedro I para Domitila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos, em 1827.

A Casa da Marquesa de Santos apresenta uma aura graciosa e romântica, mesclando temas do universo feminino com ícones neoclássicos e fica localizado no bairro de São Cristóvão, pólo da carioca e brasileira, no Rio de Janeiro.

A casa foi uma das primeiras edificações do século XIX tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional-IPHAN, no ano de 1938, voltada a abrigar o Museu da Moda Brasileira atualmente é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro.

O acervo é composto de doações, aquisições do Governo do Estado do Rio de Janeiro e transferências de outros museus, tais como os extintos Museu do Primeiro Reinado e o Museu do Teatros, possuindo itens que vão desde peças de vestuário, objetos do fazer moda, croquis, a mobiliário e pinturas.

Haste de metal com duas lentes que abrem e fecham pelo meio.
Pertenceu à Henriqueta Brieba

Porta-coque que pertenceu à Marquesa de Santos

Integrar o “fazer moda” ao ”fazer museu”, registrando história deste fazer no país, promovendo o conhecimento e a reflexão sobre a moda e os costumes, estimulando o desenvolvimento da identidade e cultura nacional, é uma das missões do Museu.

Entre as diversas coleções do Museu da Moda Brasileira, estão:

Coleção Família Imperial
Composto por diversas peças, de uso cotidiano e decorativo, utilizados pela família imperial no séc. XIX. São representativas desta coleção, porcelanas comemorativas do casamento de D. Amélia com D. Pedro I, mobiliário do Príncipe de Joinville e de Carlota Joaquina, fotos, cartões postais e gravuras, testemunhos dos hábitos e costumes da família imperial.

Leque com vinte e uma varetas com madrepérola decorada com incrustações em prata e pintura e detalhes com douramento. Na face principal, ao centro, retrato de D. Pedro I encimado pela coroa imperial.

Porta-coque pertencente à Marquesa de Santos .

Vestido de cambraia branca tipo império. Bordado com motivos florais (pequenos ramos de palmas) em fio metálico. Pertenceu a Marquesa de Santos .

Pendente em prata com montagem com trinta e seis crisólitas em volta, encimada por laço com vinte e nove crisólitas. Ao centro, gravura de busto de D. Pedro I de bigode e traje de gola alta inglesa.

Pedente em prata, em formato oval, com montagem com cinquenta crisólitas em volta, encimada por laço com quarenta e cinco crisólitas. Centro gravura de busto de D. Amélia

Coleção Carnês de Baile
Pequenos cadernos, de materiais e formatos variados, considerados indispensáveis para as grandes festas. Conta com mais de 100 carnês, de diversos estilos, incluindo o último baile do Império, que foi realizado na Ilha Fiscal.

Carnê em fundo claro, com bordas recortadas. Capa com flores vermelhas e azuis em relevo; ao centro, uma paisagem com casas e uma torre de igreja também em relevo. No interior, programa com quatro paginas. Na primeira, impresso em marrom: "Homenagem ao Exmo. Snr.General Dr. José de Siqueira Menezes" e a data do baile, na segunda página, no interior de medalhão, retrato de Siqueira Menezes e a data 12-10-906, entre folhas e vaso; na terceira página o programa com 6 danças, sendo: 3 valsas, 1 quadrilhas, 1 polkas e 1 schottischs;na quarta e quinta página o programa com as dezoito danças, sendo: 6 valsas, 2 quadrilhas, 2 polkas e 2 schottischs; nomes femininos escritos a lápis: Nena Sidora, Vilma K..., Dulce Bandeira Mello (duas vezes), Baby....,Melle Feital e um nome ilegível. Lápis rosa com inscrição "Johann Faber", com cordão verde prende o programa ao carnê.

Capa: recortes geométricos com fundo azul e pontilhado dourado. No azul, arabescos em preto, no dourado, ramos de flores. Duas outras reservas com fundo dourado e as inscrições: "Programme" e em escudo fantasia: "XVIII Anniversario" e a data, em azul. Contracapa: fundo branco, com listras douradas e a inscrição: "Primeira parte Gymnastica por Alumnos", com a apresentação de alunos em azul. O programa com danças vinte e quatro danças, sendo: 7 valsa, 5 quadrilha, 7 polka, 1 mazurka, 1 lanceiro, 2 schotisch e 1 galope, além de apresentação de ginástica e o nome dos alunos participantes; nomes femininos escritos a lápis: Olympia & Amélia. Na parte inferior, inscrição: "Impresso na Papelaria Guimarães, Fernando C. na Rua do Ouvidor, 35".

Coleção Museu dos Teatros
Contando com trajes completos usados em diversas peças, muitas retratando a época do Império e a Marquesa. A coleção consta também com o acevo pessoal da atriz Henriqueta Brieba.

Peruca em tom castanho claro com rabo de cavalo e grampo. Forro de tela marrom com pente costurado na parte frontal.
Pertenceu a Henriqueta Brieba

Luvas de cetim lilás

Traje Mary Stuart
Vestido longo em gorgorão em tom roxo. Aberto da cintura à barra. Parte de cima e manga em veludo preto. Por todo o comprimento, ao centro, duas faixas de tafetá rosa com passamanaria formando losangos e aplicação de pérolas. Parte de cima estruturada com fechos na frente de colchetes. Gola alta e manga abrindo nos punhos.Costurada à esta, manga interior em tafetá rosa com o mesmo trabalho de passamanaria e pérolas e renda nos punhos. Nas mangas, duas faixas de gorgorão com pérolas.

Calça de couro cru marrom claro. Parte da frente inteiriça e parte de trás comportando somente as pernas. Decorada em sua extensão por pespontos amarelos, brancos e vermelhos. Tiras de couro com fivela na cintura e tiras presas na barra

Traje da personagem Laudelina vivida por Fernanda Montenegro na peça "O Mambembe" de Arthur de Azevedo. Produção da Cia Teatro dos Sete, encenado no Theatro Municipal em 1959

Coleção Fazer Moda
Inclui objetos do fazer moda, como dedais, máquina de costura, réguas de corte, entre outras.

Desmanchador de Costura em dente entalhado.Largura decrescente e ponta irregular com pelos em marrom claro

Esquadro de corte e costura em madeira clara com marcação em apenas um dos lados. Instrumento de precisão sem unidade de medida especificada

Alfineteira
Seculo XX
Alfineteira redonda com almofada em veludo vermelho, com estrutura de metal para prender ao pulso

Régua tipo gabarito de medir bainha, em madeira clara com marcação numerada em preto, sem unidade de medida especificada (28 a 61). Parte de metal presa por parafuso regulável

Carretilha em metal prateado com lâmina circula cerrilhaa e apoio para o dedo. Base em madeira escura, abaulada e envernizada

Coleção de Leques
No século XX os leques eram feitos de materiais diversos como papel, seda, plumas, renda, madrepérola, madeira e etc.

Leque baralho com dezesseis varetas em marfim unidas por fita de seda. Centro pintado com cena de casal ao ar livre. Alça em metal trabalhado e presa com botão em marfim

Coleção de Vestuário
Vestidos do século XIX, peças do artista plástico Aldo Bonadei, tecidos, dentre outros acervos.

Vestido leve evasê em Crepe de Seda laranja escuro com comprimento na altura do joelho. Decote quadrado com recorte vertical ao centro até a altura da cintura. Sem mangas com alças largas e detalhe de duas pregas em cada. Marcação na cintura por recorte. Parte inferior frontal com três camadas falsas. Bordado de linhas sinuosas na mesma cor do tecido junto ao recorte da parte superior e na barra das três camadas

Vestido de noiva em organza de seda, ziberline de seda e forro de alpaseda de acetato, todos em bege claro. Vestido longo com decote redondo com recorte em V na frente. Manga longa franzida no punho tipo bispo e abotoamento no punho. Saia longa com modelagem em meio godê. Abertura em V na frente com oito casas com bordado estrelado de vidrilhos brancos, transpasse em rolotê de seda na mesma cor do vestido, formando um X ao centro, pendente bordados de vitrilhos nas extremidades. Na parte de trás, zíper e quinze botões forrados. Estrutura interna de faixa na área abaixo do busto
Utilizado no primeiro casamento de Gilda Limoeiro, no Outeiro da Gloria em 12 de janeiro de 1970

Casaco, estilo blazer, em Gorgorão preto. Gola com lapela curta virada. Mangas 7/8 com franzidos próximos ao cotovelo. Recorte princesa, à frente, com aplicação de tecido bordado em motivos fitomorfos. Detalhe de dois bolsos embutidos, acompanhando o recorte na parte inferior, forro em crepe preto. Na parte de trás, duas pences por todo o comprimento. Fechamento frontal com 3 botões de plástico. Bainha à mão

Blusa em crepe de seda marrom escuro. Gola redonda e mangas de aba com recorte raglã. Pences na altura da cintura frente e costas, costuradas a partir da segunda metade. Na parte de trás, recorte vertical ao centro por toda extensão do comprimento, abertura na parte superior com fecho em colchete de metal próximo à gola. Bordado à mão em algodão cru e linha rosa formando arabescos e motivos sinuosos, com detalhe ao centro da gola e acompanhando o recorte das costas. Acabamento da barra em ponto zigue-zague

Coleção Alceu Penna
Inclui croquis, fotos e documentos ligados ao estilista Alceu Penna.

Além destas coleções, o Museu da Moda ainda possui coleções de gravuras, pinturas, mobiliário, croquis, dentre outras, que visam estimular a reflexão sobre seus costumes, trajes, história e memória.

Créditos: história

Casa da Marquesa de Santos/ Museu da Moda Brasileira
Patricia Castro

Fundação Anita Mantuano de Artes do Rio Janeiro/ Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro André Lazaroni

Superintendência de Museus
Raphael Hallack Fabrino

Curadoria
Patricia Castro
Thais Pucu
Clara Paulino
Ingrid Fiorante

Montagem
Clara Paulino

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil