1884 - 1887

O NASCIMENTO DA TORRE EIFFEL

Eiffel Tower

 

Você encontra aqui o topo da Torre Eiffel, a plataforma que domina Paris, com quase 300 metros de altura.

Você sabia que, em 1889, na inauguração da Torre Eiffel, este andar, hoje visitado por milhões de pessoas todos os anos, era muito diferente do atual?

O andar era utilizado especialmente como laboratório de medição e experiências científicas. Muitos dispositivos foram instalados aí (barômetros, anemômetros, para-raios e etc).

Gustave Eiffel tinha reservado um escritório no topo da Torre para fazer observações astronômicas e de fisiologia. Havia até mesmo um laboratório de meteorologia instalado.

Foi essa utilidade científica da Torre, integrada por Gustave Eiffel na apresentação de seu projeto em 1886, que a salvou da destruição. A torre Eiffel, na verdade, deveria ter sido destruída 20 anos depois de sua construção para a Exposição Universal de 1889 !

Foi por ocasião da Exposição Universal de 1889, data que assinalava o centenário da Revolução Francesa, que um grande concurso foi lançado no Journal Officiel.

Verdadeiras vitrines tecnológicas e industriais dos países, essas exposições universais apresentavam os progressos realizados durante a revolução industrial.

O objeto do concurso era “estudar a possibilidade de elevar no Champ-de-Mars uma torre de ferro com uma base quadrada de 125 metros de largura e 300 metros de altura”.

O Champ-de-Mars e a Escola Militar vistos do Trocadero antes da construção da Torre Eiffel

O projeto do construtor Gustave Eiffel, dos engenheiros Maurice Koechlin e Emile Nouguier, e do arquiteto Stephen Sauvestre foi escolhido entre 107 projetos.

Formado em engenharia, Eiffel fundou e desenvolveu sua empresa especializada em estruturas metálicas, sendo a torre Eiffel sua maior realização.

A Torre não é a única criação de Gustave Eiffel. Ele dedicou os últimos trinta anos de sua vida às pesquisas experimentais.

Esse homem apaixonado e verdadeiro gênio ultrapassou os seus limites para nos deixar monumentos como a Cúpula do Observatório de Nice, a estrutura metálica da Estátua da Liberdade ou ainda a ponte ferroviária de Bordéus.

Estavam competindo vários projetos de torre de 300 metros na ocasião do concurso organizado no quadro da Exposição Universal de 1889.

Um dos concorrentes mais sérios do projeto de Gustave Eiffel foi o do arquiteto do Palácio do Trocadero, Jules Bourdais.

Jules Bourdais tinha imaginado uma torre de 300 metros totalmente de pedra.

Os dois principais engenheiros da empresa Eiffel, Emile Nouguier e Maurice Koechlin, tiveram a idéia em junho de 1884 de uma torre muito alta, construída como um poste bem grande.

A Torre era formada por quatro vigas treliçadas, separadas na base e unidas no topo, ligadas entre si por vigas metálicas posicionadas em intervalos regulares.

Era uma extrapolação ousada de 300 metros de altura (equivalente a 1.000 pés simbolicamente) do princípio dos pilares das pontes, que a empresa conhecia tão bem.

Para tornar o projeto mais aceitável pela opinião pública, Nouguier e Koechlin pediram ao arquiteto Stephen Sauvestre para criar o projeto.

Em 18 setembro de 1884, Eiffel apresenta uma patente “para uma disposição nova que permite a construção de pilares e postes metálicos com uma altura que podia ser superior a 300 metros”.

Sauvestre revestiu os pés da base com alvenaria, ligou os quatro pilares e o primeiro andar com arcos monumentais, colocou grandes salas com vidraças nos andares, desenhou um topo em forma de lâmpada e decorou tudo com vários ornamentos.

O 1º andar – Reprodução das plantas originais de Gustave Eiffel.

O 2º andar – Reprodução das plantas originais de Gustave Eiffel.

O topo – Reprodução das plantas originais de Gustave Eiffel.

TO CHECK - As antenas - Reprodução das plantas originais de Gustave Eiffel.

Os primeiros trabalhos tiveram lugar em 28 de janeiro de 1887, marcando o início da construção da Torre Eiffel.

Créditos: história

Conception — Société d'Exploitation de la Tour Eiffel
Iconographie — Parisienne de photographie et Collection tour Eiffel

Créditos: todos os meios
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes, podendo nem sempre refletir as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página Inicial
Explorar
Próximo
Perfil