A carreira de Sir Paul Smith

British Fashion Council

Clássicos com uma reviravolta.

SIR PAUL SMITH
Paul Smith não é uma criação corporativa nem um personagem inventado por um grupo focal. Ele é o estilista e comerciante mestre que vem criando e vendendo roupas desde os anos 70. Paul é a unidade criativa por trás de tudo o que acontece na Paul Smith. E ele retém uma participação majoritária na empresa que fundou em 1970. A individualidade é muito importante para Paul. É uma qualidade comum compartilhada pelos seus artistas, músicos e por outras mentes independentes que são favoritos do estilista e que o inspiraram ao longo dos anos. Manter a independência da Paul Smith significa que Paul tem a liberdade de fazer o que empresas maiores não podem.
OS PRIMEIROS ANOS: UMA CARREIRA ACIDENTAL
Até os 17 anos, a vida de Paul girava em torno do ciclismo. Infelizmente, um acidente pôs um fim às ambições profissionais nessa área, deixando-o no hospital por seis meses. Durante a recuperação, ele encontrou novos amigos que abriram seus olhos para um mundo colorido de ideias e empolgação. Eles falavam sobre Mondrian, Warhol e Kokoshka enquanto ouviam os Rolling Stones, Miles Davis e muitos outros. O acidente mudou a vida de Paul, mas o seu amor pelo ciclismo continuou. Referências ao esporte estão espalhadas por todo o trabalho do estilista.

PAUL SMITH "Vêtement Pour Homme"

A primeira loja de Paul em Nottingham media apenas 3 x 3 metros. Era chamada "Paul Smith Vetements Pour l’Homme" e foi inaugurada em 1970, na Byard Lane, nº 6, em Nottingham.

Era uma sala pequena sem quaisquer janelas, mas Paul a chamava de loja. Seu cão da raça Afghan Hound, Homer, foi o primeiro gerente.

A CAMISA DE AMULETOS

A camisa de amuletos se tornou uma assinatura precoce da Paul Smith. A origem da camisa de amuletos se deu quando Paul estava esperando por Pauline, sua esposa, na Via Montenapoleone, em Milão. Ele comprou alguns amuletos de uma barraca e estava pensando em fazer braceletes, mas teve a ideia de costurá-los na camisa, no lugar dos botões.

A camisa de amuletos foi reintroduzida na coleção Paul Smith para a a Coleção Outono/Inverno de 2016. Os amuletos – incluindo símbolos da paz e arco-íris – se ligam à mensagem de paz e positividade transmitida por Paul.

Botão de arco-íris de uma camisa de amuletos Paul Smith para a coleção masculina Outono/Inverno de 2016.

CADA LOJA DA PAUL SMITH É DIFERENTE

Sim, alguns temas se repetem, como a parede de arte sempre presente, espelhando as paredes de imagens do escritório de Paul, mas Paul sempre acreditou que cada loja deveria refletir o caráter da área na qual se encontra.

A ideia de Paul é filtrada pelo design da loja, pelo estoque e pelo merchandising. Entrar em uma loja Paul Smith é uma experiência única.

Como resultado, a loja principal em Londres, na Albemarle Street, n° 9, é muito diferente da caixa cor-de-rosa modernista da Paul Smith LA, ou da recém-renovada loja de Paris, na Rue Saint-Honoré.

DECOLANDO: PARIS & LONDRES
Em 1976, Paul foi a Paris expor sua primeira coleção masculina. Ele pegou emprestado o apartamento de um amigo no Boulevard de Vaugirard para fazer o desfile. Os modelos e ajudantes eram todos amigos, também. Por fim, o local ficou cheio, o desfile foi um sucesso e foi tudo muito empolgante. Desde então, Paul faz essa mesma viagem duas vezes por ano. Depois, em 1979, ele abriu sua segunda loja no Covent Garden, em Londres. A partir desses primeiros passos, uma empresa verdadeiramente global passou a crescer, vendendo para mais de 70 países e mais de 17.000 revendedores em todo o mundo.

Primeiro desfile de moda de Paul Smith, em 1976. Mesmo que o desfile tenha sido feito no apartamento emprestado de um amigo, foi um enorme sucesso, e Paul continuou a fazer desfiles em Paris desde então.

A famosa caixa cor-de-rosa modernista da Paul Smith LA na Melrose Avenue, 8221, que é o prédio de Los Angeles mais popular no Instagram

A CAMISA DE ESPAGUETE

Paul foi um dos primeiros estilistas a usar a impressão fotográfica em tecido nos anos 80. A técnica refletia o grande interesse de Paul pela fotografia. As primeiras impressões dos anos 80 usaram as fotografias do próprio Paul.

Isso continua assim até hoje, levando em consideração a conta pessoal de Paul no Instagram, @paul_smith. As primeiras impressões fotográficas incluíam maçãs, castanhas, flores, pilhas de madeira, uma parede coberta de hera e nuvens.

O prato de espaguete veio do Japão, onde, em uma de suas muitas viagens, Paul descobriu uma loja que vendia comida de cera para vitrines de restaurantes.

A FAMA RECÉM-DESCOBERTA: CLÁSSICO COM UMA REVIRAVOLTA
Nos anos 80, Paul continuou a aumentar o próprio negócio. Junto de Giorgio Armani, Paul foi pioneiro em um corte e uma silhueta mais folgados para o terno masculino. Ainda assim, o deleite de Paul por detalhes excêntricos e forros contrastantes é todo dele. Essa abordagem mais divertida e menos formal à alfaiataria clássica capturou a recém-descoberta confiança da década e garantiu a Paul clientes leais em todo o mundo.

Paul Smith é cumprimentado por fãs japoneses, que pedem um autógrafo.

A LISTRA DO ARTISTA

Listras foram algo central no trabalho da Paul Smith desde os primeiros dias da empresa. A nova Listra do Artista, introduzida na Coleção Outono/Inverno de 2016, é a mais recente encarnação da listra Paul Smith.

A Listra do Artista foi inspirada pelas combinações de cor da arte expressionista. A Listra do Artista está disponível como uma impressão escura ou como um detalhe sutil encontrado nos punhos das camisas, nos forros das malas ou no acabamento das jaquetas.

O QUE AS MULHERES QUEREM

Após descobrir que 15% de suas roupas eram compradas por mulheres que apreciavam o corte e a qualidade, Paul decidiu expandir seu alcance.

No entanto, a insistência de que "as coisas devem ser feitas corretamente", combinada com um cuidado natural, fez com que que a marca não se apressasse nessa nova oportunidade.

Foi só em 1993, quando Paul assumiu a tradicional, porém falida, R. Newbold (estabelecida em 1885) e incorporou muitos dos famosos cortes da empresa na nova coleção, que roupas femininas puderam ser lançadas.

COLABORAÇÕES: LEICA CAMERA

A colaboração sempre foi parte do negócio da Paul Smith, permitindo que Paul demonstrasse o amplo alcance de seus interesse e aplicasse sua criatividade em outras áreas.

Outras colaborações incluíram projetos com Land Rover, John Lobb, Maharam, Anglepoise, Caran d’Ache, Mercian cycles, Giro d’Italia e Penguin Classics.

A fotografia sempre foi algo central para o trabalho de Paul. Essa colaboração tocou em um profundo interesse pessoal: uma combinação de design britânico divertido com a engenharia alemã de precisão.

O design apresentou um corpo verde-escuro com detalhes em lima e laranja, além do rabisco à mão de Paul na tampa do flash. O modelo foi a câmera digital Leica X2, que foi vendida por £1.750 em um leilão de setembro de 2012.

PAUL SMITH HOJE: AINDA UMA MARCA BRITÂNICA
Tudo o que é feito pela Paul Smith continua a ser criado no Reino Unido. Isso foi definido pela primeira loja de Londres, no Covent Garden, inaugurada em 1979. A sede da Paul Smith é o lar da equipe de design, com o escritório de Paul no último andar. Cada produto Paul Smith começa sua vida nesse escritório londrino, com Paul envolvido em cada decisão. Enquanto isso, em Nottingham, a Paul Smith cresceu e agora inclui duas lojas e dois enormes depósitos, onde acontecem a produção, a distribuição e as outras coisas importantes que mantêm a empresa funcionando sem problemas.

O TERNO PARA VIAGENS

O Terno para Viagens encorpora as ideias de Paul sobre alfaiataria, principalmente a de que roupas devem ser distintas, mas, ao mesmo tempo, passar a impressão de serem fáceis de usar. Como resultado, o Terno para Viagens foi criado tendo movimento e conforto em mente.

O Terno para Viagens foi lançado pelo ginasta olímpico britânico Max Whitlock em agosto de 2015, e teve a flexibilidade e a resistência mostradas quando o ginasta realizou uma série de movimentos impressionantes enquanto o vestia.

O terno é feito a partir de fios 100% lã de grande torção com elasticidade natural e recuperação de vincos. São a vida e a vitalidade fantásticas desse tecido que dão ao terno essas qualidades únicas. O tecido de lã é naturalmente respirável, ajudando a pessoa que o veste a permanecer fresca e confortável, ao mesmo tempo em que passa uma aparência distinta, sem esforço algum.

INSPIRAÇÃO POR TODA PARTE

Paul atribui uma grande parte do sucesso dele à mente de colecionador. Ele é fascinado por design, é um estudioso da moda e colecionador compulsivo de "coisas".

Paul é um usuário ávido do Instagram. Sempre foi um pensador visual. Ele foi rápido ao entrar no Instagram e postar sua primeira imagem em 2012. Desde então, a conta pessoal de Paul reuniu quase 300.000 seguidores.

O escritório de Paul contém uma vasta coleção de curiosidades e lembranças. Ele está sempre recebendo coisas interessantes de amigos e fãs. E sempre adiciona itens à coleção trazidos de suas viagens pelo mundo.

Loja principal da Paul Smith, na Floral Street, Covent Garden, Londres.

Minha maior dica é pegar leve. A vida é uma alegria. Você não precisa ser rico e famoso de uma hora para outra. É só ir devagar e crescer aos poucos que você terá uma vida encantadora.
Sir Paul Smith

Créditos: história

Esta exposição foi criada pelo British Fashion Council em colaboração com a Paul Smith. Todos os direitos pertencem à Paul Smith, salvo indicação em contrário. Todos os fotógrafos e modelos foram creditados quando conhecidos.

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil