Otto Stupakoff e a fotografia de moda: o início da carreira

Instituto Moreira Salles

Parte 1: o início da fotografia de moda no Brasil

OTTO STUPAKOFF (SÃO PAULO, 1935 - 2009)
Pioneiro da fotografia de moda no Brasil, Otto Stupakoff foi um dos fotógrafos brasileiros de maior projeção internacional. Além de ensaios de moda e retratos de celebridades produzidos para revistas como Harper’s Bazaar, Life, Esquire, Glamour, Look e Vogue, Stupakoff, que passou a fase mais produtiva de sua carreira vivendo em Nova York e Paris, deixou conjuntos menos conhecidos de retratos, nus, instantâneos de rua, fotografias de suas muitas viagens pelo mundo e experimentações no limite do abstracionismo. Começa a fotografar aos oito anos, com uma câmera que recebe do pai. Entre 1953 e 1954 estuda fotografia e artes nos Estados Unidos, retornando ao Brasil em 55. Em 1956 se transfere para o Rio de Janeiro, onde começa a se afirmar profissionalmente com trabalhos como fotografia para capas de disco e monta sua primeira exposição. No fim de 1958, e no fim deste mesmo ano se estabelece em São Paulo e constrói um estúdio-hangar, com o qual se consagra como fotógrafo de campanhas publicitárias de grande porte. Na década de 1950 o mercado de moda no Brasil era incipiente e Otto, inspirado pelo que via nas revistas das bibliotecas dos consulados dos Estados Unidos e da França, onde buscava referências, sonhava em fotografar mulheres em imagens tão sublimes quanto "quadros de natureza morta". Cria então, em uma viagem ao Rio, seu primeiro ensaio completamente autoral de moda, considerado pioneiro no país. Estas imagens, realizadas na passagem para os anos 1960, já evidenciam os caminhos de liberdade, imaginação e beleza que buscaria ao longo de toda sua carreira.
ANOS DE FORMAÇÃO
Em maio de 1953 Otto vai estudar na Art Center School, em Los Angeles, EUA (hoje Art Center College of Design em Pasadena, Califórnia). Neste período faz também cursos na Califórnia School of Arts de São Francisco, com professores como Ansel Adams, Minor White, Edward Weston, Dorothea Lange, Imogen Cunningham, Lisette Model e Nancy e Beaumont Newhall; convive com o trabalho de outros grandes nomes da fotografia, como Edward Weston, que visita em Carmel, CA. e ainda trabalha como correspondente da revista Manchete em Hollywood. Em Los Angeles também viveu sua primeira e profunda paixão, por Betsy, colega de faculdade que o inspiraria por toda a vida. .

VOLTA AO BRASIL
Otto retorna ao país no início de 1955, onde logo projetou e construiu seu primeiro estúdio. O espaço, construído no sítio da família, nos arredores de Porto Alegre, sintetizava sua visão, suas angústias e suas aspirações de jovem artista e fotógrafo em busca de um percurso criativo próprio.

O INÍCIO NO RIO
Em 1956 Otto se estabelece profissionalmente no Rio de Janeiro, período no qual publica parte do seu trabalho fotográfico e o projeto do estúdio de Porto Alegre na prestigiada revista de arquitetura Módulo, dirigida por Oscar Niemeyer; realiza uma exposição individual na galeria Oca, do designer Sergio Bernardes, e fotografa a capa do primeiro LP de Dorival Caymmi, sob encomenda de André Midani, da gravadora Odeon.

A INFLUÊNCIA DAS ARTES VISUAIS
No fim de 1957 muda-se para São Paulo e casa com Catherine J. J. De Wit, com quem teria 4 filhos (Ian, 1959, Victor, 1961, Catherine, 1963 e Tânia, 1965). Nesta fase paulistana estabelece um forte vínculo com o circuito de artes e as vanguardas, em particular com o movimento capitaneado por Wesley Duke Lee, o Realismo Mágico, que reunia-se também no estúdio de Otto e influenciou diretamente seu trabalho.

O INÍCIO NA FOTOGRAFIA DE MODA SÃO PAULO, 1958-1965
Otto se estabelece na cidade de São Paulo com um estúdio na Rua Frei Caneca 1.348, se consagrando com grandes campanhas como a da nascente indústria automobilística. A publicidade, no entanto, não chega a desviá-lo de suas pretensões autorais e pavimenta o caminho para o desenvolvimento de sua linguagem fotográfica de moda.

PUBLICIDADE E MODA
Vídeo exibido no espaço expositivo de Otto Stupakoff - beleza e inquietude. 4´25´´

PIONEIRO
Em uma viagem ao Rio de Janeiro, Otto Stupakoff produz com a modelo Duda Cavalcanti aquela que ele reivindicava como a primeira fotografia autoral de moda do país. “Jamais havia visto uma foto de moda publicada no Brasil, antes de eu fazer a primeira. Pedi ao Dener (Pamplona, estilista) um vestido emprestado. Coloquei na mala, peguei um ônibus para o Rio de Janeiro, combinei com minha namorada, Duda Cavalcanti, e fomos para a casa do Heitor dos Prazeres, amigo pintor e sambista, que morava numa casa art noveau. Nesse terraço, coloquei a Duda com o vestido do Dener, que ele havia feito. Era um vestido branco e azul-marinho. Nesse dia, no terraço da casa de Heitor, a Duda vestindo Dener, foi feita a primeira foto de moda no Brasil. Essa foto, que fiz para mim (mesmo), nunca foi publicada". A foto que Otto descreve em uma entrevista, nunca identificada com precisão, é representada por esta imagem ao lado também da musa Duda Cavalcanti.

AS CAMPANHAS DA RHODIA
Com a intensificação de sua ligação com a agência Standard Propaganda, que manteria até 1964, passa a realizar grandes campanhas para a Rhodia, inaugurando com seus contemporâneos a era dos editoriais de moda fotográficos no Brasil; até então os editoriais eram criados apenas com ilustrações.

A colaboração com a Rhodia culmina no encarte publicitário de 24 páginas para a Revista Manchete intitulado "A Personalidade da Moda para o Inverno 1961", maior encarte sobre moda veiculado na imprensa do país até aquele momento e que teve enorme repercussão pelos retratos de personalidades como Tom Jobim, Jorge Amado, Oscar Niemeyer, Manabu Mabe e Millôr Fernandes, fotografados ao lado das principais modelos da época.

As fotos para a Rhodia também foram publicadas nas revistas O Cruzeiro, jornalística, e nas femininas Jóia e Claudia, esta última lançada no mesmo ano de 61 como a primeira revista feminista do Brasil.

Duda Cavalcanti
Em janeiro de 1965, em comemoração aos 400 anos da cidade, a revista Jóia publica "As mulheres, a paisagem, a gafieira, ou as belezas do Rio de Janeiro por Otto Stupakoff", com fotos de Duda Cavalcanti, novamente em ensaio na casa de Heitor dos Prazeres, este produzido em 1964.
Créditos: história

FASHION/IMS - from the Otto Stupakoff exhibition "Beauty and Anxiety": Instituto Moreira Salles Rio de Janeiro from December 13, 2016 through April 16, 2017.
Curation: Sergio Burgi and Bob Wolfenson

Continue your visit in:
Part 2: Otto Stupakoff and Fashion Photography: His International Career
Part 3: Otto Stupakoff and Fashion Photography: His Studio

The video for this section was edited by Laura Liuzzi for the show's exhibition space. Follow this link to see a documentary about Stupakoff's relationship with the visual arts: http://ims.com.br/ims/visite/exposicoes/otto-stupakoff-beleza-e-inquietude/videos

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil