Inaugurado em 12 de outubro de 1989, o CCBB Rio de Janeiro transformou-se rapidamente em um dos centros culturais mais importantes do país. É o mais visitado do Brasil e o 21o no mundo, de acordo com ranking da publicação inglesa The Art Newspaper (abril/2014). O prédio possui uma área construída de 19.243m2. O CCBB ocupa 15.046m2 desse total, com espaços diversos para diferentes atrações culturais, como música, teatro, cinema e exposições. Além disso, possui biblioteca e videoteca, além de abrigar o Arquivo Histórico e o Museu Banco do Brasil.

CCBB O Rio de Janeiro ocupa o endereço histórico do No. 66, Rua Primeiro de Março, no centro da cidade, um edifício com linhas neoclássicas que, no passado, estava ligado as finanças.

Foi ambientado em 1880, materializando o projeto de Francisco Joaquim Béthencourt da Silva (1831-1912), arquiteto da Casa Imperial e fundador da Sociedade de Propagação das Belas Artes e da Escola de Artes e Ofícios.
Inaugurado como sede da Associação Comercial do Rio de Janeiro, 1906, sua rotunda abrigava o pregão da Bolsa de Fundos Públicos. Na década de
1920 passou a pertencer ao Banco do Brasil, que o reformou para abertura de sua 4a sede.

Esta função tornou a construção emblemática na cena financeira nacional; foi usado como tal até 1960, quando foi substituído pelo Ramo Central do Rio de Janeiro e mais tarde pela filial da Primeiro de Março. No final de 1980, resgatando o valor simbólico e arquitetônico do edifício, o Banco do Brasil decidiu convertê-lo em um centro cultural.

A preservação ao transformá-lo em um centro cultural. O projeto de adaptação
preservou o requinte das colunas, dos ornamentos, do mármore que sobe do
foyer pelas escadarias e retrabalhou a cúpula sobre a rotunda.

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil