Calçada da Glória

Galeria de Arte Urbana

“Diversos temas”
2012/2013

Evocando novamente o trabalho de Almada Negreiros, um criador de renome do modernismo Português, o artista de rua trabalhou em seus desenhos, em que aparecem geralmente uma mulher com um espírito felino e um homem em segundo plano. Nesta representação a mulher aparece nua, tatuada, abandonada antes do ataque de um tigre que rasga seu coração visível no peito.

PIM! é um dos mais reconhecidas interjeições de Almada Negreiros nas suas obras literárias. Usado em seu "Manifesto Anti-Dantas", simbolizado um ataque contra a anacrônica cena cultural do país. O artista de rua representou, nomeadamente, através da radiografia do jovem artista futurista e a arquitectura do colapso de toda uma geração.

Big Brother está a vigiar-nos ! O rosto de um homem que nos observa frontalmente, parece ter um monócolo no olho direito, detalhe que certamente aprofunda seu olhar inquisitivo. Formalmente vestido com chapéu, bengala, colete, a figura aparece sobre um fundo a pingar ladeado por elementos geométricos..

Esta é uma cena inspirada no teatro "commedia dell'arte", envolvendo figuras como o pierrot, a Columbina, o arlequim. A composição enche profusamente todo o cartaz, como um "gabinete de curiosités" habitada por várias figuras, onde podemos encontrar inúmeros elementos exóticos.

"Lowbrow" é o título da exposição para a qual o artista de rua Mar fez este trabalho. Lowbrow é um movimento plástico de criatividade inferior. Lowbrow combina pop e notas surrealistas claramente disposto neste outdoor. Cinco figuras sem cabeça estão em águas pantanosas, um deles a navegar numa bola feita de um arco-íris.

Há uma casa feita de letras. É um poema para habitar? Ou uma biblioteca? Sobre um fundo preto foram pintadas em camadas brancas, palavras em stencil. Em algumas áreas com maior densidade, um efeito óptico aponta para uma porta, uma janela e um nome de lugar.

A história estilo de banda desenhada pintadas num outdoor. Intitulado "Creative Block", a história descreve as tentativas do artista para acabar com as suas obras criativas.

Este é um retrato triplo de Almada Negreiros, o criador de renome do modernismo Português. O trabalho foi realizado no contexto de uma exposição evocativa do seu nascimento e representa o artista em três fases diferentes de sua vida. O todo cruza-se nos seus auto-retratos, suas fotos com o olhar do autor contemporâneo que produziu esta peça.

Este é um confronto entre titãs: A Super Van e Pedro Zamith. Profusamente preenchendo todo o outdoor, ambos trouxeram os seus personagens mais comuns. Estas figuras grotescas, organizados em dois grandes blocos, estão a lutar entre o preto e branco e uma paleta efusiva de cores.

A série de seis peixes, diminuindo de tamanho, da direita para a esquerda. Estão a comer uns aos outros, a partir do maior, no lado direito, até ao menor à esquerda. O menor está apenas atrás de um submarino e grita a interjeição "UPS". O submarino de forma oblonga, tem um olho e uma boca a sorrir à frente, os olhos nas janelas e um periscópio. Os peixes e submarino estão preto e branco e o fundo é azul claro com riscas de um azul mais escuro.

Em memória de todo o trabalho dedicado por Almada Negreiros (o criador de renome do modernismo Português) a relação dos portugueses com o mar, o artista de rua traçou as madeiras de um navio. O barco é uma mulher e seu rosto estende-se até à proa. Com o corpo feito de uma bola de cordas, ela segura uma âncora e ao leme do navio está um coelho.

Evocando a abstracção geométrica trabalhada muito por Almada Negreiros, o criador de renome do modernismo Português, a composição transmite algo do olhar matemático de Negreiros e os conteúdos expressionistas deste artista de rua. Ao longo de um fundo feito de gestos, com gotejamento e coreografia, elementos com valores supremacistas, emergem para a superfície.

Num mar agitado, um pequeno barco dirigido por duas figuras femininas, vai em direcção ao lado desconhecido da lua. A mulher que é conduzida abandona-se num gesto lânguido, a outra dirige o barco, está com os olhos vendados e inclina-se, num esforço para chegar mais à frente.

A lâmpada mágica, um dragão alado, uma lua com uma cartola, uma garrafa com uma mensagem, um menino num barco de papel está a espreitar, os adultos parece que caíram neste universo de fantasia para a realidade.

Créditos: história

Photography — 2013 José Vicente | GAU | DPC | CML

Créditos: todos os meios
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes, podendo nem sempre refletir as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página Inicial
Explorar
Próximo
Perfil