A coroação da rainha Elizabeth II 

A coroação da rainha Elizabeth II foi um dia de pompa e rituais deslumbrantes, celebrado em todo o mundo e marcado como o início de um reinado longo e histórico.

Crianças celebram a coroação
Rei George VI

A ascensão da rainha

O rei George VI faleceu durante o sono na Sandringham House na noite de 6 de fevereiro de 1952. Ele tinha apenas 56 anos. Uma longa doença e o esforço de liderança feito durante os anos da Segunda Guerra Mundial pesaram sobre os ombros do tão amado monarca. 

A princesa Elizabeth, mais velha das duas filhas do rei, estava no Quênia, no início de uma viagem real pelos países da Commonwealth, substituindo o pai por causa de sua saúde precária. 

A notícia da morte do rei foi dada por seu marido, o príncipe Philip. 

Elizabeth, com apenas 25 anos, enfrentou não somente o pesar da perda do pai, mas a perspectiva assustadora de agora ser a rainha do Reino Unido e chefe da Commonwealth. 

Apesar de Elizabeth ter subido ao trono, mais 16 meses se passariam até sua coroação. 

Retrato da duquesa de York (futura rainha-mãe) com sua filha recém-nascida, princesa Elizabeth

A juventude de Elizabeth

Elizabeth nasceu em 21 de abril de 1926, em Londres. Quatro anos depois, ela ganhou uma irmã, a princesa Margaret. Seu pai, o duque de York, foi o segundo filho do rei George V, e por isso não estava destinado se tornar rei.

Mas tudo isso mudou em 1936, quando o irmão mais velho de seu pai, o rei Edward VIII abdicou do trono por estar determinado a se casar com a americana divorciada Wallis Simpson, o que foi visto como incompatível com o papel do rei como chefe da Igreja inglesa. O pai de Elizabeth tornou-se o rei George VI, e ela se tornou herdeira do trono.

Mesmo quando criança, o caráter forte da princesa Elizabeth e sua atitude responsável eram marcantes. Durante a Segunda Guerra Mundial, ela fez transmissões de rádio para ajudar a animar os espíritos de outras crianças, apoiou instituições de caridade e, com 18 anos, ingressou no Serviço Auxiliar Territorial Feminino e treinou como motorista e mecânica.

Em 1947, a princesa fez sua primeira viagem real com seus pais para a África do Sul. 

Princesa Elizabeth com sua mãe e irmã
Princesa Elizabeth: Time, 1929
Um passeio em família, 1936

"Declaro diante de todos vocês que, durante toda a minha vida, seja ela longa ou curta, estarei a seu serviço e ao serviço de nossa grande família imperial, à qual todos nós pertencemos."

Princesa Elizabeth, 1947

Príncipe Philip

A princesa Elizabeth conheceu o príncipe Philip em 1934, quando tinha apenas 8 anos de idade. Philip era um príncipe grego cuja família fora enviada ao exílio em 1922, quando ele ainda era um bebê.

Depois de mais um encontro, em 1939, quando a princesa Elizabeth tinha apenas 13 anos, ela declarou que havia se apaixonado por Philip, agora cadete da Marinha Real, e os dois começaram a escrever um para o outro regularmente.

Príncipe Philip
O casal real

Um casamento real

O príncipe Philip passou a Segunda Guerra Mundial em serviço ativo no Mediterrâneo, mas depois da guerra, o príncipe e a princesa puderam retomar o namoro. O noivado foi anunciado em 1947, e eles se casaram na Abadia de Westminster em 20 de novembro. No mesmo dia, o príncipe Philip recebeu o título de duque de Edimburgo. 

Agridoce: fila para rações 

Grã-Bretanha em 1953

A Grã-Bretanha em 1953 ainda vivia na sombra da Segunda Guerra Mundial. O racionamento de comida ainda estava em vigor para o açúcar, e a carne e se tornou bastante impopular. Os locais explodidos ainda marcavam muitas cidades.

A posição da Grã-Bretanha como uma das grandes potências do mundo estava sob ameaça, e o império foi se esvaindo.

Mas a década de 1950 marcou o início da recuperação da austeridade do pós-guerra. Os salários estavam em ascensão, o racionamento estava acabando, e o governo lançou um amplo programa de construção de casas.

A coroação de uma nova rainha, jovem, bonita e consciente, parecia anunciar um futuro melhor.

"A coroação foi como uma era da fênix. Tudo estava sendo levantado a partir das cinzas... melhorando cada vez mais."

Princesa Margaret
A procissão pelas ruas de Londres

A procissão

Os preparativos para a coroação da rainha Elizabeth II começaram no momento em que ela subiu ao trono, em fevereiro de 1952. Entretanto, foi somente depois de 16 meses, em 2 de junho de 1953, que ela foi coroada rainha.

O dia tão esperado começou com uma procissão do Palácio de Buckingham até a Abadia de Westminster, local das coroações inglesas e britânicas desde a coroação de Harold II, em 1066. Milhares de espectadores ansiosos aguardaram nos pontos principais ao longo da rota e acamparam durante a noite, apesar da chuva pesada.

No próprio dia, havia cerca de três milhões de pessoas ao longo das ruas para saudar a nova rainha. Houve um pouco de chuva esparsa ao longo do dia, mas o clima ficou firme durante a procissão em si.

A procissão foi guiada pelas bandas reunidas da Brigada da Guarda, seguido pelos contingentes das forças armadas das nações da Commonwealth. Chefes de estado e a realeza estrangeira viajaram de coche. Eles foram seguidos pela própria rainha no Gold State Coach (carruagem real). 

Soldados marchando na procissão

Hillary e Everest

Em 29 de maio de 1953, o montanhista neozelandês Edmund Hillary e o nepalês Sherpa Tenzing Norgay tornaram-se os primeiros homens a chegar ao pico do Monte Everest, a montanha mais alta do mundo. Como estavam com pouco oxigênio, só puderam passar 15 minutos no pico, que está a uma altitude de 8.848 metros.

A notícia do feito extraordinário chegou à Grã-Bretanha na mesma manhã da coroação e foi imediatamente saudada como um presente de coroação para a jovem rainha, tornando a notícia outro motivo de alegria conforme esta se espalhava pelas ruas apinhadas de Londres.

Hillary e o líder da expedição, coronel John Hunt foram posteriormente nomeados cavaleiros pela nova rainha, e Norgay recebeu a Medalha George.

Edmund Hillary e Tenzing Norgay 

Coches reais

A monarquia britânica tem mais de 100 coches e carruagens. O mais prestigioso é o Gold State Coach, usado pela Rainha Elizabeth em sua coroação. O coche foi construído em Londres, em 1762, é puxado por oito cavalos e pesa quatro toneladas. É espessamente folheado a ouro (daí seu nome) e decorado com painéis pintados.

Recentemente, o coche real, mais comumente visto, tem sido o State Landau de 1902, utilizado no casamento de William e Kate e no Jubileu de Diamante da rainha em 2012. 

Gravura da Abadia de Westminster

A coroação

A chegada da rainha Elizabeth à Abadia de Westminster, onde 8.000 pessoas aguardavam, marcou o início da cerimônia religiosa que culminaria com sua coroação.

Ela vestia seda branca bordada com os emblemas das nações da Commonwealth e, por cima, o manto de veludo de estado, mais de cinco metros de comprimento, sua cauda apoiada por sete damas de honra.

No altar, a rainha fez o Juramento de Coroação em defesa da justiça, das leis de seus reinos e da fé anglicana. Então, no momento mais antigo e sagrado da cerimônia, a rainha foi ungida com óleo sagrado pelo arcebispo de Canterbury, sentada na Cadeira da Coroação. Depois de Elizabeth receber os cetros, a orbe e o manto reais e finalmente a coroa, a congregação respondeu com um grito de "Deus salve a Rainha!"

"As coisas que aqui prometi eu realizarei e manterei. Assim Deus me ajude."

Rainha Elizabeth II, 1953

Após a cerimônia

Após a cerimônia de coroação, a rainha voltou ao Palácio de Buckingham no Gold State Coach. Uma multidão rapidamente se reuniu nas grades do palácio e começou a cantar "Queremos a rainha!"

A rainha, acompanhada pela família real, devidamente fez a primeira de várias aparições na sacada naquele dia. Ela foi recebida com fortes aplausos da multidão. Ela, então, entrou para o primeiro de dois banquetes de coroação, com a presença de familiares, membros da realeza estrangeira e dignitários visitantes.

No segundo desses banquetes, foi servido o "frango da coroação" pela primeira vez: um prato feito com frango frio ao molho de curry cremoso, criado para a ocasião.

Às 17h, mais de 150 aeronaves sobrevoaram o Palácio de Buckingham (a homenagem já tinha sido adiada várias vezes devido ao mau tempo). A aparição final da rainha à sacada foi à meia-noite. 

"Esperamos que esse seja o testemunho do começo de uma nova era elisabetana, não menos famosa do que a primeira."

Clement Attlee, 1953

Televisão

A coroação da rainha Elizabeth II tornou-se um momento importante na história da televisão. A cerimônia em si nunca havia sido filmada antes, e apesar de o primeiro-ministro Winston Churchill achar que não deveria ser, a rainha acreditava que deveria. Menos de um terço dos lares britânicos tinham um televisor em 1952, mas a demanda para assistir à coroação era enorme. Como impulso, a BBC trabalhou arduamente para aumentar a cobertura, e as vendas de televisores dispararam.

No dia, as pessoas lotaram salas de estar, cinemas e salas de concerto para assistir às 11 horas de cobertura ao vivo. A transmissão ao vivo foi em preto e branco, apesar de ter sido filmada em cores. A audiência da televisão no Reino Unido foi estimada em 20 milhões (40% da população). O evento marcou o momento em que a televisão se tornou entretenimento de massa no Reino Unido. 

Sala de controle do transmissor de TV da BBC
A coroação na televisão

Vida longa ao reinado

A coroação da rainha Elizabeth II marcou o início de um reinado notável, que é até hoje o segundo mais longo da história britânica.

Nesse tempo, ela realizou inúmeras viagens por países estrangeiros e estados da Commonwealth e se tornou a chefe de estado que mais viajou na história.

Seu reinado foi testemunha de mudanças notáveis ​​e drásticas no Reino Unido e em todo o mundo, com não menos importância para a dissolução gradual do poder imperial britânico.

A própria família real passou por seus próprios traumas, incluindo a dissolução dos casamentos de três de seus quatro filhos e a morte trágica e prematura de Diana, Princesa de Gales, em 1997.

No entanto, a rainha, com o príncipe Philip a seu lado, manteve-se firme, digna e respeitosa. Ela manteve uma enorme popularidade tanto em seu país como no exterior, como demonstra o enorme entusiasmo do público que saudou seu Jubileu de Diamante em 2012. 

Créditos: história

Toby Groom, Documentary Producer & Historian 
Mike Lewis, CEO & Founder, Historvius.com

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil