Arte e Arquitetura na Câmara dos Deputados

Câmara dos Deputados, Brasil

A silhueta do Palácio do Congresso Nacional impressiona por sua plasticidade e beleza e é reconhecidamente um dos grandes momentos da arquitetura moderna mundial. Mas é o interior do palácio, com seus grandes espaços livres ambientados com apuro e cuidado, que vem traduzir, juntamente com o exterior, a visão da estética moderna de um palácio governamental.
Dentro de um palácio
O pouco tempo de que se dispunha para a construção do edifício não impediu a realização de uma notável integração entre Arte e Arquitetura, por meio de uma política cuidadosamente planejada de criação e aquisição de mobiliário e obras de arte com vistas à ambientação da sede do parlamento brasileiro na cidade ícone da arquitetura moderna.
Colaboração
Sempre atento aos detalhes do palácio que considerava sua obra mais querida, Oscar Niemeyer convidou vários artistas brasileiros de destaque para contribuírem com o engrandecimento de seu projeto. Grandes nomes do cenário artístico nacional da época, como Di Cavalcanti, Alfredo Cheschiatti e Marianne Peretti, criaram obras-primas especialmente para o palácio.
Athos Bulcão
Coube a Athos Bulcão, o artista mais identificado com a estética da nova capital, a confecção de vários painéis realizados em mármore, azulejo ou madeira policromada, que, distribuídos em diversos locais do edifício, atestam a maestria da concepção dos elementos artísticos postos a serviço da arquitetura.
Mobiliário
Para um palácio que representasse um Brasil moderno, fez-se necessário buscar — e em alguns casos, até mesmo produzir — um mobiliário à altura do desafio. O mobiliário presente no Palácio do Congresso Nacional representa um pequeno panorama da criação moveleira no século XX e sua estética, no Brasil e no exterior. Nele, é possível observar o diálogo harmonioso entre os expoentes internacionais que serviram de referência na consolidação do design moderno no mundo e os brasileiros, que trouxeram um olhar genuinamente nacional ao que estava sendo produzido.
Moderno brasileiro
Livre de ornamentos e privilegiando formas puras, o móvel moderno se caracteriza pela utilização de materiais industriais, como o aço e o alumínio, adequados à produção em massa. Já no Brasil, a produção se caracteriza pela constante utilização da madeira, matéria-prima abundante em nosso país. A palhinha, um material leve e ligado diretamente ao nosso passado colonial, foi também utilizado com frequência.
Dessa maneira, surgiu a rica diversidade que pode ser observada em alguns espaços específicos do Palácio do Congresso Nacional, conforme orientação dos projetos originais de Oscar Niemeyer, com peças de Sergio Rodrigues, Jean Gillon, George Nelson, Florence Knoll, Charles Pollock, Mies van der Rohe, Eero Saarinen, Le Corbusier, Oscar e Anna Maria Niemeyer, Charles e Ray Eames e Jorge Zalszupin.
Créditos: história

CÂMARA DOS DEPUTADOS
SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

ACERVO E CURADORIA
Núcleo de Museu do Centro Cultural Câmara dos Deputados

FOTOS
Seção de Fotografia Institucional
Rui Faquini

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil