Rio: Rotas & Monumentos

Conservação Rio

Caminhos e curiosidades que apenas quem vive na cidade maravilhosa poderia mostrar aos que nunca estiveram aqui. Da renovada Praça Mauá até o bairro da Lapa, esta exposição convida a todos para um passeio através dos pontos culturais do centro do Rio.

Praça Mauá
A Praça Mauá marca o início da Avenida Rio Branco e da Região Portuária, um importante local para receber produtos e turistas na cidade desde 1910. Após a revitalização, em 2015, a praça se tornou um importante ponto cultural com imponentes prédios, como o Museu de Arte do Rio (MAR) e o Museu do Amanhã, além de ter no seu entorno o primeiro arranha céu da cidade, construído em 1930. No meio da praça encontra-se a estátua do Barão de Mauá, que nomeia a região devido à sua importância no tempo do Império.
Candelária
Provavelmente uma das igrejas mais famosas do Rio de Janeiro, a Candelária merece também o título de uma das mais bonitas. Legado da arquitetura neo-clássica e gótica, seu interior segue o estilo neo-renascentista italiano e conta a história de sua construção.
Praça XV
A praça está localizada no centro histórico do Rio, ao lado do Paço Imperial e do Palácio Tiradentes, onde se encontra hoje a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. A Estação da Praça XV traz também um terminal marítimo de barcas que leva os moradores da cidade a diversos destinos na cidade de Niterói. De cima, é possível observar o calçamento renovado em pedras portuguesas da Praça XV.

Localizado na Praça XV, o Chafariz do Mestre Valentim foi inaugurado em 1789. Feito em gnaisse carioca, lioz e bronze, matérias primas muito comuns em obras do autor, o chafariz foi erguido entre duas escadas que desciam para o cais do Largo do Paço, reencontradas em escavações na década de 1980. Sua posição era ideal para a aguada dos barcos. Foi retratada por quase todos os artistas viajantes que passaram pela cidade no século XIX.

Cinelândia
Cinelândia é o nome popular do entorno da Praça Floriano, no centro do Rio, em uma área que cobre a Avenida Rio Branco, a Rua Senador Dantas, Rua Evaristo da Veiga e Praça Mahatma Gandhi. Lá, você encontra prédios importantes para a história brasileira, como o Theatro Municipal, a Biblioteca Nacional e o clássico Cine Odeon, um dos primeiros cinemas de rua da cidade.

Carlos Gomes foi o mais importante compositor de ópera do Brasil. Autor de "O Guarani", ele misturou instrumentos clássicos e os da cultura indígena, dando uma nova perspectiva ao seu trabalho. Sua estátua está hoje situada ao lado do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

O monumento "Ao Nunca Mais" é um tributo à resistência brasileira que lutou pela anistia. Foi instalado em 2014 e patrocinado pela Comissão da Anistia do Ministério da Justiça e doado à prefeitura em ocasião dos 50 anos do golpe de 1964. Feito pela artista plástica Cristina Pozzobon, a escultura de 2.5 metros de altura, em aço corten, representa a bandeira brasileira cortada ao meio com estrelas no chão.

A estátua em bronze de Mahatma Gandhi, um dos maiores líderes pacifistas do mundo, é um belo retrato do pai da independência Indiana e presente do governo local ao Brasil. Está localizada entre o Cine Odeon e o Passeio Público.

Adquirido pelo governo do período imperial na Fundição Val d'Osne, a Fonte Monumental é a maior fonte artística fundida em ferro do Brasil e possui 10 metros de altura.

Passeio Público
Entre a Cinelândia e a Lapa está o Passeio Público. Inaugurado no século 18, ele foi o primeiro parque público das Américas. Criado pelo Mestre Valentim, o trabalho foi inspirado no Passeio Público de Lisboa e no estilo francês. Construído em 1783, o Passeio, como é conhecido pelos cariocas, se tornou um grande local de encontro nos séculos 18 e 19. No seu interior, é possível encontrar diversas espécies da flora nacional, assim como trabalhos de arte da época, fontes, esculturas e pirâmides.

O Portão Monumental do Passeio é feito em ferro forjado em estilo rococó, possui brasão de armas reais em destaque e as efíges de Maria I e seu marido, Pedro III de Portugal.

O Rocaille do Passeio é uma composição romântica de elementos de jardim. Uma pequena fonte de água atrás de um banco de pedras abastece o lago do parque.

Criado pelo Mestre Valentim no ano de inauguração do parque, 1783, a Fonte de Jacarés é o primeiro trabalho que apresenta estilização de animais da fauna brasileira.

Lapa
Após a Cinelândia e o Passeio Público, a próxima parada é o bairro da Lapa. Lá encontramos os históricos Arcos da Lapa e a Escadaria de Selarón, dois grandes cartões-postais da cidade. Construído no século 18 por escravos africanos, os Arcos eram inicialmente um aqueduto que posteriormente foi reconstruído para servir de trilho para o bonde que sai da Carioca e vai até Santa Teresa. Do outro lado, está a famosa escadaria reconstruída pelo artista chileno Jorge Selarón e que liga o bairro pela Rua Joaquim Silva até Santa Teresa. Os degraus decorados com mais de 2 mil azulejos em mosaico serve hoje de locação para todo tipo de produção cultural, como vídeoclipes e ensaios fotográficos no Rio.
Créditos: história

Secretário Municipal de Conservação e Serviços Públicos: Marcus Belchior.

Coordenação Geral: Ana Luiza Piza.
Gestão do Projeto e T.I.: Rodrigo Kemel.
Fotos: Daniel Coelho.
Fotos Aéreas: João Francisco.
Texto e Conteúdo: Amanda Cinelli.
Apoio: Lenora Vasconcellos

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil