2016

O retorno da fauna em uma floresta plantada

Instituto Terra

Palco de um importante processo de resgate da biodiversidade da Mata Atlântica no Vale do Rio Doce, no Sudeste do Brasil, a área reflorestada pelo Instituto Terra na RPPN Fazenda Bulcão é hoje refúgio seguro para espécies da fauna brasileira, algumas delas ameaçadas de extinção.

Fundado em 1998 por Lélia Deluiz Wanick Salgado e Sebastião Salgado, o Instituto Terra mostra com sua experiência que é possível o ser humano reconstruir grande parte do que destruiu, e ajudar a restabelecer o necessário equilíbrio ambiental em nosso planeta.  

Conheça a seguir alguns exemplares da rica diversidade faunística de Floresta Atlântica que hoje habita essa Unidade de Conservação - uma área que há menos de duas décadas era tomada por pasto e erosão.

Ameaçada e fragmentada, a Mata Atlântica ainda responde por importante parcela da biodiversidade brasileira. Os exemplares da fauna desse bioma identificados na RPPN Fazenda Bulcão se constituem em importantes indicadores do sucesso das ações de reflorestamento promovidas pelo Instituto Terra na área.

Monitoramentos comprovam que vivem na nova floresta desde pequenos invertebrados, como formigas, besouros e borboletas, até uma família de jaguatiricas (Leopardus pardalis). É o ciclo da cadeia alimentar que foi restabelecido, ajudando a completar o processo de resgate da biodiversidade em uma floresta plantada.

O encanto das aves
Para quem anda hoje pelas trilhas da RPPN Fazenda Bulcão e ouve a linda sinfonia do canto dos pássaros, fica difícil imaginar a degradação que tomava conta daquela área no final da década de 80. Restabelecido o verde na terra antes erodida, os animais logo quiseram voltar. O primeiro monitoramento da fauna foi finalizado em 2006 - sete anos após o início do reflorestamento - e identificou que lá já viviam 173 espécies de aves, pertencentes a 49 famílias e 19 ordens. 

Entre o total de aves já identificadas na área reflorestada do Instituto Terra, seis delas são consideradas em situação vulnerável ou em perigo de extinção.

São exemplares de pura beleza tropical, como o chauá (Amazona rhodocorytha), o papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea), o pica-pau-rei (Campephilus robustus), a araponga (Procnias nudicollis), o maracanã (Propyrrhura maracana) e o canário-da-terra-verdadeiro (Sicalis flaveola).

Ouça o canto do chauá
Som do Maracanã (Propryrrhura maracana)

Maracanã (Primolius maracana) em registro de vídeo na RPPN Fazenda Bulcão.

Apontadas como boas indicadoras biológicas de degradação ambiental, as aves são exemplares da fauna que cumprem essencial função ecológica nos habitats florestais, ajudando, por exemplo, com a predação, a polinização e a dispersão de sementes.

Por serem mais facilmente detectadas, as aves são consideradas por muitos pesquisadores um caminho mais rápido e eficaz para promover diagnósticos ambientais ou apoiar o monitoramento tanto de áreas de relevância biológica como das que estão em processo de restauração.

Pica-pau-de-banda-branca
Som do Pica-pau-do-campo (Campo Flicker)
Som do Japacanim gravado na RPPN Fazenda Bulcão
Som do Sanhaço-cinzento gravado na RPPN Fazenda Bulcão
Som do Alma-de-gato gravado na RPPN Fazenda Bulcão

Jacupemba (Penelope superciliaris) em registro de vídeo na RPPN Fazenda Bulcão.

Intituladas de "rainhas da noite", por características como a visão acurada mesmo na escuridão quase total, as corujas habitam vários biomas do Brasil. Nos domínios da Mata Atlântica, ocorrem espécies endêmicas como a Murucututu-de-barriga-amarela, com ocorrência já registrada na RPPN Fazenda Bulcão.

Som do Murucututu-de-barriga-amarela
Som da Corujinha-do-mato
Som do Caburé (Glaucidium brasilianum)

Caburé (Glaucidium brasilianum) na floresta plantada pelo Instituto Terra na RPPN Fazenda Bulcão.

A partir do projeto paisagístico idealizado por Lélia Deluiz Wanick Salgado, arquiteta e cofundadora do Instituto Terra, os bosques floridos o ano inteiro na área central da RPPN Fazenda Bulcão hoje são ponto de atração de espécies delicadas como os beija-flores, de papel relevante nos processos de polinização.

Som do Besourinho-de-bico-vermelho

Predadoras, as aves de rapina também atuam pela estabilização nos ecossistemas, favorecendo a manutenção dos índices de diversidade.

Som do gavião-de-rabo-branco gravado na RPPN Fazenda Bulcão
Som do gavião-carijó gravado na RPPN Fazenda Bulcão

As ações de recuperação promovidas pelo Instituto Terra vão além do plantio de árvores. Envolvem a proteção contra fogo e também de caçadores, além de educação ambiental, a fim de demonstrar à comunidade do entorno a importância da conservação e recuperação da flora e da fauna da região.

Som da Seriema
A presença dos mamíferos
A floresta em franco crescimento na RPPN Fazenda Bulcão, sede do Instituto Terra, agora está suprindo a necessidade tanto de alimentação quanto servindo de área de reprodução para exemplares da fauna do bioma Mata Atlântica que sofrem com a perda de seu habitat natural. Uma família de jaguatiricas (Leopardus pardalis) foi avistada na área, junto com outras 32 espécies de mamíferos. Um importante indicador de que a teia alimentar está consistente, permitindo que esse felino, de topo de cadeia - e que já foi identificado com status de vulnerável no Brasil - se restabeleça no local.  

Registro em vídeo de jaguatirica (Leopardus pardalis) na área da RPPN Fazenda Bulcão.

Desde os primeiros plantios de mudas arbóreas, realizado em 1999, o reflorestamento na RPPN Fazenda Bulcão envolve, a cada ano, maior diversidade de espécies plantadas. As árvores já crescidas hoje servem de morada para exemplares da fauna como o tamanduá-de-colete.

O Instituto Terra está localizado no leste de Minas Gerais, um estado brasileiro privilegiado por apresentar áreas cobertas pelos biomas da Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. Toda essa heterogeneidade de ecossistemas manifesta-se também na existência de uma grande variedade de fauna.

No total, 16 espécies de répteis e outras 15 de anfíbios também já foram avistados e identificados na área reflorestada da RPPN Fazenda Bulcão, unidade de conservação que a cada ano se torna mais atraente para receber novos e legítimos moradores da Mata Atlântica.

Instituto Terra
Créditos: história

O Instituto Terra é uma organização civil sem fins lucrativos fundada em abril de 1998. Suas principais ações envolvem a restauração ecossistêmica, produção de mudas de Mata Atlântica, extensão ambiental, educação ambiental e pesquisa científica aplicada.

Visite www.institutoterra.org para saber como é possível contribuir com os projetos desenvolvidos.

Exposição - "O retorno da Fauna em uma floresta plantada"
Edição e Texto - Maria Helena Fabriz
Áudio - Faunativa para Instituto Terra
Vídeo - Leonardo Merçon para Instituto Terra
Fotos - Crédito nas mídias
Consultoria Técnica - Engenheiro Florestal Jaeder Lopes Vieira e Bióloga Elisangela Ferreira da Silva, da Unidade Ambiental do Instituto Terra

Contatos:
Instituto Terra - RPPN Fazenda Bulcão
Caixa Postal 005
CEP: 35200-000
Aimorés / MG / Brasil
Tel.: +55 33 3267 2025
iterra@institutoterra.org

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil