Ciências em Versailles capítulo 3: à descoberta do mundo, a geografia

Palace of Versailles

Apaixonado pela geografia, Luís XVI possuía na biblioteca de seu apartamento interior uma mesa especialmente concebida para a leitura de mapas: uma grande mesa redonda fornecida por Jean-Claude Quervel. Verdadeira curiosidade técnica e botânica, o tampo, com mais de dois metros de diâmetro, foi realizado com uma só peça em madeira de caju.

Louis of France, Dauphin, son of Louis XV (1729-1765)., after Louis Tocqué, 1735/1800, Da coleção de: Palace of Versailles

A geografia é desde sempre uma ciência associada ao exercício do poder: está associada ao conhecimento da Terra, à descoberta de novos mundos, e quem domina os mapas domina o território que governa.

Ao longo do século XVIII, os Cassini, dinastia de astrônomos e cartógrafos, contribui para dar à geografia a sua nobreza.

Louis XVI giving his instructions to La Pérouse, June 29 1785, Nicolas-André Monsiau, 1817, Da coleção de: Palace of Versailles

De igual forma, a geografia assume um lugar de eleição na arquitetura dos apartamentos reais: implantado no primeiro piso sobre o Pátio dos Veados, o gabinete privado de geografia de Luís XVI é onde ele se dá ao prazer de desenhar mapas sobre uma mesa de desenho especialmente concebida.

Terrestrial globe indicating the submarine reliefs and the celestial dome, Edmé Mentelle 1786-1788 (geographer) and Jean-Tobie Mercklein (mechanic), 1786, Da coleção de: Palace of Versailles

Globo encomendado por Luís XVI em 1786 para a educação do Delfim

A particularidade deste instrumento, tanto artística como científica, é de ser composto de um globo terrestre mostrando em relevo as terras emersas e as profundezas marinhas, estando envolvido por duas calotas hemisféricas.

Terrestrial globe indicating the submarine reliefs and the celestial dome, Edmé Mentelle 1786-1788 (geographer) and Jean-Tobie Mercklein (mechanic), 1786, Da coleção de: Palace of Versailles

A calota superior representa o Mundo Antigo...

Terrestrial globe indicating the submarine reliefs and the celestial dome, Edmé Mentelle 1786-1788 (geographer) and Jean-Tobie Mercklein (mechanic), 1786, Da coleção de: Palace of Versailles

...e a inferior o Novo Mundo.

Terrestrial globe indicating the submarine reliefs and the celestial dome, Edmé Mentelle 1786-1788 (geographer) and Jean-Tobie Mercklein (mechanic), 1786, Da coleção de: Palace of Versailles

A presença de pés em forma de Golfinho (Delfim) recorda o destino do objeto.

Em relação à educação dos príncipes, enquanto que as outras matérias são ministradas pelo governador e pelo preceptor, o saber científico é assegurado por sábios e acadêmicos que vêm pontualmente do exterior para uma lição.

Charles-Pierre Claret, comte de Fleurieu, Anonymous France 18th century, 1701/1800, Da coleção de: Palace of Versailles

A viagem de la Pérouse

Em fevereiro de 1785, Charles-Pierre Claret de Fleurieu (1738-1810), Diretor dos Portos e Arsenais, envia ao Rei um relatório que solicita a realização da expedição do comandante Jean-François de La Pérouse (1741-1788) às águas do Oceano Pacífico.

Louis XVI giving his instructions to La Pérouse, June 29 1785, Nicolas-André Monsiau, 1817, Da coleção de: Palace of Versailles

Após ter tido conhecimento dos resultados das explorações de Louis-Antoine de Bougainville (1729-1811) e de James Cook (1728-1779), Luís XVI, apaixonado pela geografia, pede a la Pérouse que organize uma viagem ao redor do mundo. No dia 26 de junho, em presença de seu Secretário de Estado da Marinha, o Marechal de Castries (1727-1801) recebe la Pérouse na sua biblioteca para lhe dar instruções.

Louis XVI giving his instructions to La Pérouse, June 29 1785, Nicolas-André Monsiau, 1817, Da coleção de: Palace of Versailles

A partida ocorre no dia 1 de agosto de 1785. Duas fragatas, “La Boussole” e “L’Astrolabe” saem de Brest, após uma preparação minuciosa da Academia das Ciências organizada por Fleurieu e revista pelo próprio Rei. A expedição veleja para o Chile, Califórnia, Alasca. China, Japão, Austrália e, nas Ilhas Salomão, uma tempestade faz encalhar os dois navios.

Terrestrial and celestial globes, Pierre Lartigue and Louis Lennel, Da coleção de: Palace of Versailles

Globos terrestre e celeste

Estes globos terrestre e celeste, executados em 1777 por Pierre Lartigue (1745-1826) e Louis Lennel (1740-1784), foram oferecidos a Luís XVI no dia 6 de julho de 1778 e colocados em sua biblioteca de Versailles, onde permaneceram até 1793.

Celestial globe supported by a figure of Atlas, Pierre Lartigue (draughtsman) and Louis Lennel (maker), 1777, Da coleção de: Palace of Versailles

No globo celeste apoiado sobre um Atlas, estão gravados em relevo os signos do Zodíaco e diferentes constelações.

Terrestrial globe supported by a figure of Atlas, Pierre Lartigue (draughtsman) and Louis Lennel (maker), 1777, Da coleção de: Palace of Versailles

A esfera terrestre em relevo é uma obra-prima da ciência e da caligrafia: ainda é possível ler nela os limites extremos atingidos por Cook em suas viagens, e é provável que Luís XVI a tenha consultado enquanto planejava a expedição de la Pérouse.

Créditos: história

Catherine Pégard, Presidente do Palácio de Versailles

Laurent Salomé, Diretor do Museu

Thierry Gausseron, Administrador-geral

Hélène Delalex, Conservadora do Patrimônio e Comissária da Exposição Virtual

Géraldine Bidault, Responsável da biblioteca fotográfica e da digitalização das coleções. Comissária da Exposição Virtual

Ariane de Lestrange, Diretora de Informação e Comunicação

Paul Chaine, Chefe de Serviço de Desenvolvimento Digital

Gaëlle Bertho, Coordenador da Exposição Virtual

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil