Saiba como o English National Ballet criou uma nova peça inspirada na vida e no trabalho de Frida Kahlo

Broken Wings conta com a coreografia de Annabelle Lopez Ochoa para "She Said", uma coletânea de três balés do English National Ballet. A peça foi inspirada na vida de Frida Kahlo e estreou no Teatro Sadler's Wells, de Londres, em 2016.

Como coreógrafa, Ochoa tem sido elogiada pelo forte senso de narrativa e tem criado obras para uma longa lista de companhias do mundo todo, desde que se aposentou como bailarina em 2003.

Não é apenas na dança que a voz das mulheres nem sempre é ouvida, por isso o tema escolhido para "Broken Wings", de Annabelle Lopez Ochoa, foi uma mulher extraordinária que marcou a época em que viveu.

“Quando Tamara Rojo, a diretora artística do English National Ballet, me pediu para procurar uma figura feminina na história ou literatura, ela me deu uma longa lista como referência”, lembra Ochoa. “Eu disse: ‘Excelente ideia, adorei, mas o nome que sempre vem à minha mente é o de Frida Kahlo.’”

A pintora mexicana Kahlo era a heroína perfeita para a coreógrafa belga-colombiana Ochoa, especialmente pela própria afinidade com a cultura latino-americana. “Adoro o colorido das pinturas dela, o Mexicanismo”, declarou ela. “Esse estilo representa algo muito próximo para mim, transmitido pelos meus pais. Adoro músicas desse tipo, gosto de ouvir rancheras.”

Mais do que qualquer outro fator, foi a própria história de Kahlo e a vida trágica que a artista teve que fizeram dela um tema tão interessante. “Ela começou a pintar retratos porque sofreu um acidente e ficou acamada por muito tempo, então ganhou um espelho da mãe para que pudesse pintar a si mesma”, explica Ochoa.

“Mais tarde, por causa do acidente, ela não pôde dar à luz e sofreu três abortos. A partir daí, o estilo de pintura dela começou a mudar e se tornou cada vez mais surrealista.”

Essa progressão deu à coreografia de Ochoa a oportunidade de seguir o mesmo caminho. “Cada pintura é uma pequena porta que se abre para um mundo mais abstrato e surreal”, diz ela. A diretora Nancy Meckler, com quem Ochoa já havia colaborado antes na premiada peça "A Streetcar Named Desire" (Um bonde chamado desejo) para o Scottish Ballet, atuou como dramaturga e ajudou Ochoa a viajar entre esses mundos abstratos e narrativos.

Dieuweke van Reij é cenógrafa e figurinista experiente em óperas, apresentações de dança, peças de teatro, comédias, musicais e programas de TV. Para "She Said", ela foi convidada pela coreógrafa Annabelle Lopez Ochoa para desenvolver um trabalho com base na vida e no trabalho da emblemática artista Frida Kahlo.

Conte sobre o trabalho que você desenvolveu para "Broken Wings", de Annabelle Lopez Ochoa

A criação de todo o design começou com uma pesquisa detalhada sobre o trabalho, a vida e a jornada artística de Frida Kahlo. Tivemos reuniões intensas com Annabelle Lopez Ochoa, com a diretora Nancy Meckler, com o compositor Peter Salem e com o designer de iluminação Vinny Jones em que discutimos sobre Frida como personagem e decidimos que partes do trabalho e da vida dela achávamos inspiradoras e queríamos incluir na peça. O que significa Frida Kahlo para nós, afinal? Essa era a grande questão.

A partir disso, comecei a criar os designs. Para mim, o desafio foi conseguir capturar a energia poderosa do trabalho de Frida Kahlo sem fazer cópias idênticas das pinturas dela. O trabalho de Frida é tão intenso que eu senti que precisava encontrar uma forma de traduzir a personalidade e o trabalho dela nos designs. Tentar copiar algo jamais seria tão impressionante quanto as próprias pinturas dela.

Comecei usando alguns elementos e cores do trabalho da artista e misturando-os com a história que queríamos contar sobre a vida que ela levou. O resultado final foi uma combinação de imagens emblemáticas de Frida Kahlo com uma grande influência mexicana, um toque da época em que ela viveu e uma pitada daquilo que achávamos que constituía os sonhos e a imaginação dela.

Vimos alguns esboços com grandes enfeites de cabeça e até mesmo pintura corporal. De onde surgiram essas ideias?

Frida Kahlo usava muita pintura corporal no próprio trabalho: nos autorretratos dela, havia lágrimas por todo o seu corpo ou, ainda, um olho ou até mesmo o marido dela, Diego Rivera, pintado na testa da artista. Essa foi a inspiração original.

Depois, Annabelle mostrou o trabalho de Ryan Burke, um fotógrafo e maquiador cujo trabalho é conhecido pelo uso extremo e marcante de maquiagens e enfeites de cabeça. Isso me inspirou a levar a ideia da pintura corporal adiante.

Na peça, há 10 homens vestidos como Frida Kahlo. Eles representam uma ampliação, uma extensão da própria Frida e de todos os aspectos de si mesma que despertavam nela diferentes sentimentos e anseios. Por isso precisei criar algo expressivo e transformar os autorretratos dela em obras de arte reais e físicas.

Como todos eles entram em grupo, optei por manter um só estilo marcante para todos, variando nos detalhes e enfeites de cabeça. O tronco deles será pintado. Alguns maquiadores da MAC estão me ajudando a transformar isso em realidade: é incrível trabalhar com eles, porque são extremamente gentis e estão empolgados para trabalhar nesse projeto. A experiência desses maquiadores não tem preço: eles combinaram as cores exatamente como as cores dos tecidos que eu escolhi e fizeram lindas amostras para me mostrar. Nós inspiramos uns aos outros, e sinto que eles também se tornaram parte do show como um todo.

E os enfeites de cabeça?

Há vários designs diferentes, baseados nas pinturas de Frida. Tive muita sorte por Mark Wheeler ter sido convidado para fazer os enfeites de cabeça. Ele é muito criativo e sabe como transformar meus desenhos em verdadeiras obras de arte fáceis de usar e que não atrapalham as danças.

A base de todas as peças são as perucas. Trabalhei com Mark e Amelia Carrington, do departamento de perucas do ENB, para combinar todos os itens em uma só estrutura. Alguns enfeites de cabeça são apenas o cabelo misturado com tiras de tecido dos figurinos, enquanto outros possuem formas grandes, como chifres ou caveiras, entrelaçadas no cabelo, esculpidas em uma espuma bem leve. Outros têm penas de verdade ou fios entrelaçados. É uma mistura de materiais que combinam melhor com cada design diferente.

Você já trabalhou com Annabelle. O processo para "Broken Wings" é o mesmo?

Para mim, cada nova produção é uma nova jornada. Quanto mais trabalhamos junto com alguém, melhor entendemos o jeito de pensar e criar dessa pessoa, quais são as prioridades dela e qual deve ser o foco. Tenho a sensação de que nosso trabalho em parceria está crescendo por causa disso e devo dizer que lidar com uma artista tão incrível como Frida Kahlo tornou todo o processo ainda mais intenso desta vez, já que existe uma infinidade de materiais para usar e escolher. Cada pequeno detalhe que encontramos cria dezenas de novas fontes de inspiração que não tínhamos antes, e queremos absorver tudo.

Minha cenografia também é cheia de surpresas. Ela começa com uma imagem bastante literal, para mostrar onde estamos e para onde vamos e, ao longo da peça, transforma-se em uma imagem final expressiva que envolve Frida como uma celebração da personalidade e da arte dela.

Dominic Skinner é artista sênior da M.A.C Cosmetics. Ele trabalhou em parceria com os designers Dieuweke van Reij e Kimie Nakano para criar as maquiagens de "Broken Wings" e "M-Dao". Ele nos conta um pouco da experiência.

Como surgiu a colaboração?

A M.A.C Cosmetics é parceira oficial de maquiagem do English National Ballet. Temos um relacionamento de longa data que continua gerando criando trabalhos inovadores, temporada após temporada.

Estamos muito curiosos sobre as pinturas corporais de "Broken Wings". O que podemos esperar delas?

Para mim, trata-se da ideia de colaboração entre esses dois mundos. Na M.A.C, costumamos trabalhar no mundo do teatro, mas não com nossas habilidades em pintura corporal. É uma verdadeira mistura de duas formas de arte que se encontram para melhorar uma à outra e dar profundidade à história. Ver uma pintura corporal ganhar vida e se encher de movimento vai ser empolgante e algo inédito para mim.

Créditos: história
Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil