1989

A Década de Mandela

“Como um prisioneiro se tornou Presidente”
1989-2000

Introdução

Esta exposição apresenta cerca de 10 anos da vida de Nelson Mandela. Não é tanto um comentário histórico mas sim uma forma de captar grandes eventos e utilizar a imagem para redescobrir uma atmosfera particular dessa época e a visão de alguém que teve uma influência moral muito forte, especialmente durante os anos 90.

A expressão de Nelson Mandela muito antes de se tornar num herói nacional, em 1941.

Em 1990, Nelson Mandela tinha 72 anos. Preso desde 1964, era o prisioneiro político mais velho do mundo. Em 1989, começou a negociar a sua libertação com o governo de De Klerk. Durante o tempo em que esteve preso, passou por várias estabelecimentos prisionais diferentes e as suas condições de vida foram melhorando à medida que a sua celebridade aumentava.

Cela de Nelson Mandela em 1971.
Detidos a trabalhar no estabelecimento prisional de Robben Island em 1977

A 11 de fevereiro de 1990, Nelson Mandela foi libertado. Centenas de apoiantes concentraram-se em frente à prisão Victor Verster onde estava detido. O prisioneiro exigiu que a sua libertação fosse mostrada ao mundo. Reencontrou a sua esposa, Winnie, a sua família e os seus companheiros de armas. No seu discurso à porta da prisão, elogiou a luta do povo pela liberdade.

Estou aqui perante vós, não como um profeta, mas como o humilde servo do povo.

A 11 de fevereiro de 1990, a multidão de Joanesburgo reuniu-se para o ouvir no estádio.
Hoje, as cores do ANC, o partido de Madiba, significam liberdade.

De imediato, começaram as negociações entre o ANC, o partido zulu IFP e o Partido Nacional de De Klerk e Botha. Foi a sessão CODESA (Convenção para uma África do Sul Democrática) em dezembro de 1991.

Mandela, discurso na CODESA
F.W. de Klerk e Pik Botha na CODESA
A tensão entre o IFP do Príncipe Buthelezi e o ANC de Mandela levou a uma guerra civil latente. Em junho de 1992, militantes do ANC foram massacrados em Boipatong.
Mandela mostrou moderação mas os seus apoiantes furiosos estavam prontos para enfrentar a polícia que era acusada ​​de ser cúmplice dos assassinatos. 
41 pessoas foram mortas em Boipatong pelo IFP. Durante os protestos do ANC em luto, a polícia abriu fogo.
Um homem ferido por uma bala da polícia.
O amanhecer de uma noite de angústia.
O luto com as cores do ANC
Albert Lutuli recebe o Prémio Nobel, 1960
Desmond Tutu recebe o Prémio Nobel da Paz em 1984
Já em 1964, os habitantes de Oslo lutavam contra o apartheid. Foi nesta cidade que, em 1993, Nelson Mandela recebeu o Prémio Nobel da Paz.
As primeiras eleições livres tiveram lugar em abril de 1994, com o mundo a observar.
Maio de 1994, o dia da tomada de posse: a alegria da Nação Arco-íris

No dia das eleições, olhem para o vosso boletim de voto e quando virem a fotografia de um belo jovem, façam uma cruz ao lado.

Nelson Mandela, 1994

O Presidente Mandela e os seus dois vice-presidentes, de Klerk e Mbeki, durante a tomada de posse.
Mandela foi o primeiro presidente negro da nova África do Sul. Aqui, está a cumprimentar uma modesta funcionária da presidência no primeiro dia da sua nomeação.
Winnie Mandela foi a companheira de Nelson Mandela desde o seu casamento em 1958. Nesta fotografia, chega com a mãe de Madiba durante o processo de 1963. Winnie foi a porta-voz do marido durante o tempo em que esteve preso. Também ela passou pela prisão e pelas residências vigiadas. Mas, em 1992 o casal separou-se e, em 1996, divorciou-se.
Winnie, aqui com Albertina Sisulu em 1987, fez campanha com o ANC e defendeu a violência.
Os escândalos causados por Winnie levaram ao fim da união de fachada.
Embora influenciado pelo comunismo (aqui, Fidel Castro é recebido a título particular em 2001), a política do governo de Mandela entre 1994 e 1998 foi mais liberal, com as privatizações a serem contrabalançadas por ajudas sociais.
Após receber os mais importantes líderes mundiais, incluindo o vice-presidente dos EUA, Al Gore, em 1999, a África do Sul de Madiba tomou consciência do seu papel internacional.

EPÍLOGO

No final da sua presidência, Nelson Mandela continuou a participar na vida pública através da sua fundação. Também aproveitou estes anos para desfrutar de uma vida privada, que sofreu uma transformação em 1998 com o seu casamento com Graça Machel.

Madiba continua a ser uma das figuras centrais na vida pública da África do Sul. Os novos líderes políticos são sempre comparados a ele. Mandela criticou os atrasos nas ações contra a SIDA e tem estado envolvido em questões humanitárias.

Em 2007, anunciou o seu afastamento da vida pública. No entanto, em 2008, aceitou participar numa campanha humanitária no Reino Unido, 20 anos depois do concerto organizado em nome da sua libertação em 1988.

O último discurso, que marcou o seu afastamento da vida política em 2007.
O concerto de 2008, uma retrospetiva sobre 20 anos de luta e um apelo à responsabilidade. Atrás de Madiba estão estrelas como Will Smith e sua esposa Graça Machel.

"O futuro está nas vossas mãos agora."

Nelson Mandela, 2008
Créditos: história

Advisor  — Zénine, Rafik, Audiovisual Director
Advisor — Emma d'Agonssa, Film Critic
Conseiller — Zénine, Rafik, directeur audiovisuel
Conseillère — Emma d'Agonssa, critique de film

Créditos: todos os meios
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes, podendo nem sempre refletir as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página Inicial
Explorar
Próximo
Perfil