1912 - 1993

Lei da terra de 1913

Africa Media Online

A remoção de "pontos negros"

A Lei da Terra de 1913 proibiu os "negros" de comprarem ou alugarem terrenos em áreas designadas como "brancas". Essa legislação foi um dos pilares do apartheid e abriu o caminho para outras leis que restringiram ainda mais os direitos dos negros e sua propriedade de terra.

Para cumprir com essa legislação, o governo tomou medidas para remover à força os negros de áreas reservadas para pessoas brancas.

Casa em Valspan, área ameaçada pelas remoções forçadas do apartheid. Os moradores não podiam reparar suas casas, e apenas serviços básicos eram fornecidos. O regime do apartheid designou a área como "slum" ("favela"). O número na porta indica que a remoção é iminente
Sr. Cwaile, ativista de Valspan, fora de sua casa. Valspan era uma área ameaçada pelas remoções forçadas do apartheid. Os moradores não foram autorizados a reparar suas casas, e apenas os serviços básicos foram fornecidos. O regime do apartheid, em seguida, designou a área uma "favela". O número da porta indica que a remoção é iminente.
Mulher reboca as paredes com barro. Daggakraal era uma área considerada um "ponto negro" pelo regime do apartheid e foi ameaçada de remoção forçada. Reparar a casa era visto como a resistência à remoção.
Tinkie, uma cantora de louvor, com Jill, membro do Black Sash. Mathopiestad era uma área agrícola produtiva considerada um "ponto negro" pelo regime do apartheid e ameaçada de remoção forçada.
Remoções em Sophiatown, O movimento. As primeiras 60 famílias em Sophiatown, Johannesburgo, foram obrigadas a deixar suas casas e receberam alojamento em um novo local em Meadowlands. "Você está obrigado, de acordo com os termos da Lei de Reassentamento Negro de 1954, a desocupar o local em que está residindo..."
Resistência a remoções
Polícia assiste aos sem teto cujas casas foram demolidas. Midrand, 1991
Fazendo a mudança
Banheiros e arbustos espinhosos. Algumas pessoas que foram expulsas pelo regime do apartheid receberam tendas. Os banheiros, no entanto, sempre estavam disponíveis. A presença de linhas de banheiros em áreas abandonadas indicava remoções forçadas imanentes.
Edifícios em Distrito Seis da Cidade do Cabo sendo demolidos
Betty Nakona despejada com seus pertences em uma área de reassentamento. Botshabelo, 1987
Despejado! Beestekraal era um "local de despejo" para aqueles que foram retirados à força sob o sistema apartheid. Eles receberam tendas e banheiros. Trabalhadores rurais expulsos das fazendas também foram enviados para lá.
Sra. Hlatswayo, construindo uma nova casa em Driefontein. Driefontein era uma área considerada um "ponto negro" pelo regime do apartheid. Os trabalhadores rurais que foram expulsos das fazendas possuídas por brancos nas redondezas receberam asilo em Driefontein. O sr. Timothy Hlatswayo feriu-se quanto o trator que conduzia camponeses de volta para casa capotou. O fazendeiro se recusou a aceitar a responsabilidade pelo acidente e foi expulso da fazenda.
Aproveitando ao máximo a expulsão à força. O espírito resistente da África.
Créditos: história

Photographer — Gille de Vlieg / South Photographs
Photographer — Paul Weinberg / South Photographs
Photographer — Paul Grendon / South Photographs
Photographer — Graeme Williams / South Photographs
Photographer — Cedric Nunn
Photographic Archive — Baileys African History Archive
Photographer — Paul Alberts / South Photographs
Photographer — Guy Tillim /  South Photographs

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil