Orquestra, coro, ballet e escolas de formação

Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Inaugurado em 1909, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro é uma das principais casas de espetáculos do Brasil. Ao longo de mais de um século de atividades, o belíssimo prédio em estilo eclético – cuja arquitetura é um espetáculo à parte – vem recebendo em seu palco os mais renomados artistas, grandes orquestras e companhias de dança nacionais e estrangeiras.

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro é o único teatro do país a manter três corpos artísticos: Orquestra Sinfônica, Coro e Corpo de baile.

A Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal foi criada em 2 de maio de 1931, pelo Decreto nº 3.506, por Adolfo Bergamini, Interventor Federal do Rio de Janeiro.

A Orquestra estreou em 5 de setembro de 1931 sob a batuta do maestro Francisco Braga, seu primeiro regente titular.

A apresentação contou com o tenor italiano Tito Schipa como solista.

Com 85 anos de atividades, a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro é uma das mais antigas do Brasil e atualmente é dirigida pelo maestro Tobias Volkmann.

O Coro do Theatro Municipal foi criado juntamente com a Orquestra Sinfônica, em 1931.

Somente em 1933 o Coro se apresentaria completo e organizado, sob a regência de Santiago Guerra, seu maestro titular até 1975.

O Coro apresenta-se em óperas, concertos corais e corais-sinfônicos.

Jésus Figueiredo é o atual Maestro Titular.

A história do Ballet do Theatro Municipal tem início em 1927, quando a bailarina Maria Olenewa funda a primeira Escola de Dança do Brasil, sediada no Theatro Municipal.

Inicialmente, Corpo de Baile e Escola de Dança apresentavam-se indistintamente. Em 1936, foi oficialmente criado o Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com a separação definitiva entre escola e companhia profissional.

A Primeira Temporada Nacional de Bailados aconteceu em 1937, sob a direção de Maria Olenewa.

Em sua história, o Ballet do Theatro Municipal foi dirigido por ícones da dança no país, como Vaslav Velchek, Tatiana Leskova, Eugenia Feodorova, Dalal Achcar, Nora Esteves, Dennis Gray e Jean-Yves Lormeau.

O Ballet do Theatro Municipal é dirigido atualmente pelas primeiras bailarinas Ana Botafogo e Cecília Kerche.

Primeira e mais importante instituição de ensino de balé no país, a Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, pertencente à Fundação Teatro Municipal RJ, completou 89 anos de trabalhos ininterruptos em 2016.

Ao longo de sua tradição, a Escola de Dança formou grande primeiras bailarinas do Theatro Municipal, dentre elas Nora Esteves, Aurea Hammerli, Claudia Mota e Márcia Jaqueline. Outras alunas encontraram o sucesso em companhias de balé no exterior: Márcia Haydé - um dos principais nomes do Ballet de Stuttgart - e Roberta Marques, estrela do Royal Ballet, de Londres.

A Academia de Ópera Bidu Sayão foi fundada no segundo semestre de 2015 para oferecer a jovens cantores a necessária experiência no repertório operístico.

A Academia de Ópera Bidu Sayão funciona no formato de residência artística de até dois anos de duração. Durante este período, os participantes têm aulas e master-classes de técnica vocal, história da ópera, atuação teatral e repertório.

A ópera Serse, de Haendel, foi apresentada, em 2016, pelos participantes da Academia, marcando a estreia da série Ópera de Câmara em Concerto.
A Academia de Ópera Bidu Sayão é coordenada pelo tenor Eduardo Álvares.

Créditos: história

Fontes Documentais
Acervo do Centro de Documentação da Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro - CEDOC/FTMRJ

Curadoria
Fátima Cristina Gonçalves

Texto
Carlos Henrique Braz
Fátima Cristina Gonçalves

Fotografia
Jorge Campana
Júlia Rónai
Louis Melancon
Sheila Guimarães
Vânia Laranjeira


Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil