Mural do Canecão

Ziraldo

Canecão
Inaugurado em 1967, o Canecão foi palco de apresentações dos grandes nomes da música brasileira e alguns shows históricos como o da volta de Raul Seixas e o de Cazuza pouco antes de morrer.
Mural
Inspirado nos traços de pintores como Pablo Picasso e Cândido Portinari, Ziraldo criou, ao longo de seis meses de trabalho um mural no Canecão, por muitos anos a principal casa de shows do Rio de Janeiro e uma das principais do Brasil. 
Alvo de críticas
Uma "Santa Ceia" regada a cerveja, em um cenário carioca. Na época, em 1967, em pleno regime militar, a obra foi alvo de críticas e considerada transgressora.

Ziraldo no mural do Canecão

Visão brasileira
“Tem a Arca de Noé com os bichos, tem os Arcos da Lapa, tem a vista do Papa ao Rio de Janeiro. Tem as cariocas chegando para a festa, animadíssimas. Tem o cara celebrando na mesa de bar. Tem o sujeito de porre, tem o cara dando cachacinha para o santo. Tem toda uma visão brasileira sobre o ato de beber. Não tem ninguém comendo. Estão todos comemorando. Tem muitos brindes” diz Ziraldo
Obra prima
Considerada uma das maiores obras murais do país, com 32 metros de largura por 6 metros de altura, o painel é considerado uma das obras primas de Ziraldo.
Créditos: história

Instituto Ziraldo, 2016.

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil