HUMANOS DO PORTO

Museu do Amanhã

A Região Portuária do Rio de Janeiro é berço da miscigenação carioca. Por ali, todos os dias, diferentes faces se cruzam, apressadas, rumo à escola, ao trabalho, ao lazer ou ao descanso no lar. É onde culturas se conhecem, o passado, o presente e o amanhã convivem. Um movimento intenso de gente, de dezenas de línguas e tons distintos de pele. Conheça quem é parte do dia a dia desta área.

Mateus Massoxe é DJ e mora no Brasil há 16 anos. Nascido em Luanda, Angola, teve três filhos brasileiros com mulheres diferentes. Costuma malhar no Aterro do Flamengo (foto: Gustavo Otero).

Heron Souza é técnico em segurança no terminal portuário do Rio e cursa faculdade de Engenharia Civil. Morador do Catumbi, na região Central, trabalha em turnos de 24 horas (foto: Gustavo Otero).

Katia Simão é funcionária de uma loja na Avenida Rio Branco, bem no Centro do Rio. Vive na Ilha do Governador e todos os dias usa as barcas rumo à Praça Quinze (foto: Gustavo Otero).

Gerson Luiz dos Santos, de 88 anos, é morador do Morro da Providência. Natural de São Paulo, se apaixonou pelo Rio de Janeiro num Carnaval e decidiu se mudar para a cidade. Se casou, teve filhos e se considera uma pessoa feliz (foto: Marcos Tristão).

Thiago Pires trabalha na área de tecnologia no Tribunal de Justiça, na região da Praça Quinze. Sua maior paixão é tocar violão com seu grupo "Fundamental", que tem samba e pagode no repertório (foto: Gustavo Otero).

Gustavo Menegale, apelidado de Gnomo, vende artesanato, música e poesia na Orla Conde, Região Portuária do Rio. Com seu chapéu inusitado, pretende viajar pelo Brasil (foto: Gustavo Otero).

Todos os dias, Roseli Ferreira cruza a Baía de Guanabara rumo ao Centro para vender lingerie e cosméticos pelas ruas. Quem não encontrá-la perambulando pelas calçadas, é só ligar para seu telefone e fazer o pedido, que ela entrega (foto: Gustavo Otero).

O floricultor e jardineiro Mateus Matos, de 19 anos, foi criado no Morro da Providência. Mas é no asfalto que ele passa a maior parte do tempo, apreciando o movimento em sua vendinha de flores, na Rua Acre (foto: Gustavo Otero).

Lidmar Pedro trabalha na Marinha e mora perto da Praça Mauá. Apesar de sua vida corrida no Centro do Rio, é facilmente encontrado pelas ruas de Copacabana, na Zona Sul (foto: Gustavo Otero).

Nildes Teixeira, 53, lives in Campo Grande, West Zone of Rio, but works in Sacadura Cabral street in Port Region. He said that the construction of the Museum of Tomorrow was a milestone in the revitalization of Port (photo: Gustavo Otero).

Gabriel Raposo, de 33 anos, é bombeiro e trabalha desde 2004 em um dos vários prédios instalados na Avenida Rio Branco. Ele conta que viu uma zona portuária abandonada e perigosa se transformar em uma área de cultura e lazer. Diz sentir muito orgulho de participar desse novo Rio de Janeiro (foto: Gustavo Otero).

Gilliard da Silva, de 29 anos, trabalha no estacionamento do antigo prédio da Bolsa de Valores do Rio, na Praça Quinze. Morador de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, gosta de ir à praça para descansar em seus períodos de folga (foto: Gustavo Otero).

Isabela Jorge, de 21 anos, pode ser vista com frequência no Observatório do Valongo, no alto do Morro da Conceição. Estudante do curso de Astronomia na Universidade Federal do Rio de Janeiro, vai sempre com o namorado Victor Hugo para as aulas (foto: Gustavo Otero).

Victor Hugo Silva, o namorado da Isabela, tem 18 anos e está no terceiro período do curso de Astronomia na UFRJ. Morador do Fundão, já está acostumado a cruzar a Linha Vermelha rumo ao topo do Morro da Conceição, onde fica o Observatório do Valongo (foto: Gustavo Otero).

Edmilson Ribeiro da Costa, o Pelé, de 43 anos, é morador da Gamboa e conselheiro tutelar em uma ONG na Pedra Lisa, região do Morro da Providência. Ele deseja que, no futuro, os governantes valorizem mais o morador de toda a zona portuária (foto: Gustavo Otero).

A portuguesa Jill Palmeiro, de 22 anos, é uma das turistas que passou a frequentar a Praça Mauá depois da revitalização e instalações de museus (foto: Gustavo Otero).

Catherine Rill, mãe da portuguesa Jill, tem uma relação próxima com a Região Portuária. Filha de holandeses, nasceu por acaso no Rio de Janeiro, quando seus pais passeavam em um navio cruzeiro e sua mãe precisou dar à luz (foto: Gustavo Otero).

Jorge Borba, de 61 anos, vende pipoca no mesmo ponto da rua Sacadura Cabral desde 1989. Viu a derrubada do Elevado da Perimetral e a mudança feita na região ao longo dos anos - e diz que gostou muito do que foi feito (foto: Gustavo Otero).

Todo dia, Victor Monteiro, de 22 anos, faz tudo sempre igual: sai às 8h de Paciência, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, para chegar 10h em seu emprego, como atendente de telemarketing, em uma empresa instalada no Morro da Conceição, na Região Portuária (foto: Gustavo Otero).

Bárbara Martins do Prado tem 21 anos e é estagiária de Recursos Humanos no Terminal Libra, na Região Portuária do Rio. Se mudou de São Paulo no início de 2016 e ainda se adapta à nova vida - sem negar que sente muita saudade de casa (foto: Gustavo Otero).

Créditos: história

Presidente do Conselho de Administração: Fred Arruda
Diretor Presidente: Ricardo Piquet
Curador Geral: Luiz Alberto Oliveira
Diretor de Conteúdo: Alfredo Tolmasquim
Diretor de Operações & Finanças: Henrique Oliveira
Diretor de Desenvolvimento de Públicos: Alexandre Fernandes
Diretor de Planejamento & Gestão: Vinícius Capillé
Diretora Captação de Recursos: Renata Salles
Gerente de Exposições e Observatório do Amanhã: Leonardo Menezes
Editor de Conteúdo: Emanuel Alencar
Redator de Conteúdo: Eduardo Carvalho
Estagiária: Thaís Cerqueira
Fotos: Gustavo Otero | Coleção Museu do Amanhã

Créditos: todas as mídias
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes. Portanto, ela pode não representar as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil