O Melhor para o Rei de Portugal

A Estatuária Italiana para a Real Basílica de Mafra

Por Palácio Nacional de Mafra

Basilica de Nossa Senhora e Santo António (1717/1733) de João Frederico Ludovice or Johan Fredrich Ludwig (1673- 1752)Palácio Nacional de Mafra

Basílica de Mafra

Para a magnificência da Basílica de Mafra, o rei João V encomendou a mais significativa colecção de esculturas barrocas italianas existentes fora de Itália. 58 estátuas para o interior, medalhões para a fachada, a galilé e a entrada do Convento, e um grupo com Cristo e Anjos para a capela-mor, tudo em mármore de Carrara. Esta enorme encomenda foi realizada apenas um ano antes da consagração (22 de Outubro de 1730), mas as primeiras estátuas apenas chegaram em 1731, ficando o projecto concluído em 1733. Para trabalhar para o Rei de Portugal foram contratados os mais importantes artistas romanos Mas a grande escala da encomenda levou à contratação de artistas fora de Roma, como em Florença, Génova ou Carrara, atingindo 26 escultores.

Muitos dos escultores que trabalharam para Mafra também trabalharam em importantes monumentos italianos como a Fontana di Trevi.
A Fonte de Trevi (1732-1762), situada numa junção de três estradas (tre vie), é o ponto terminal de um dos aquedutos principais de Roma. O seu desenho foii encomendado ao arquitecto Nicola Salvi (1697 - 1751), que morreu antes de o projecto ser executado. Também Giovanni Battista Maini esteve envolvido na concepção deste projecto.

Alguns desses escultores são Pietro Bracci, o autor da cena principal representando o Oceano carregado por uma carruagem triunfal, Filippo della Valle que esculpiu as estátuas da Abundância, do lado esquerdo e da Saúde, do lado direito, e os escultores das três estátuas menores localizadas no ático representando A abundância das frutas - Agostino Corsini - A fertilidade dos campos - Bernardino Ludovisi - e A amenidade dos campos e Jardins - de Bartolomeo Pincellotti.
Todos estes artistas trabalharam para o Rei João V e para a Basílica de Mafra.

Modelo e estátua de Santa Ana (1730/1733) de Autor desconhecidoPalácio Nacional de Mafra

Santa Ana
Autor desconhecido, c. 1732
Modelo de terracota, c. 1729

Esta encomenda real seguiu vários passos. Em primeiro lugar, foram enviados desenhos da Itália para serem apreciados e avaliados pelo rei, seguidos de correspondência especificando os comentários de João V. Mais tarde, vieram modelos de terracota de cerca de 66 cm de altura e em 3 dimensões, seguidos novamente por cartas com especificações e, finalmente, a aprovação.

Fachada da Basílica de Mafra (1760/1770) de Joaquim Machado de Castro (1731-1822)Palácio Nacional de Mafra

Neste desenho à pena da Real Basílica de Mafra por Joaquim Machado de Castro, podemos ver quatro estátuas italianas: São Francisco de Assis, São Domingos, Santa Isabel da Hungria e Santa Clara. Está também visível o medalhão do frontão. Olhemos então para as esculturas!

Medalhão representando a Virgem, Santo António e o Menino (1730) de José de Almeida (c. 1708-1770)Palácio Nacional de Mafra

A Virgem, o Menino e Santo António
José de Almeida, 1730

Este medalhão em madeira representa os orágos da Basílica de Mafra. Este medalhão esteve colocado no frontão da igreja até a chegada de um idêntico, em jaspe, encomendado em Itália ao escultor Giuseppe Lironi (1731).

Estátua de São Francisco de Assis (c. 1731) de Carlo MonaldiPalácio Nacional de Mafra

São Francisco de Assis
Carlo Monaldi, c. 1731

Localizada no lado sul do segundo nível da fachada, esta estátua representa São Francisco, o fundador da Ordem Franciscana, uma ordem de pregação e mendicante, para a qual o Convento de Mafra foi destinado. Representado na meia-idade, o santo usa o hábito com o capuz, a corda com os três nós e está descalço, sinal de pobreza.

Estátua de São Domingos (c.1731) de Carlo MonaldiPalácio Nacional de Mafra

São Domingos
Carlo Monaldi, c.1731

Esta escultura está localizada no lado norte do primeiro nível da fachada da Basílica, em frente à escultura de São Francisco. Representa São Domingos, que foi o fundador da Ordem Dominicana, também uma ordem de pregação e mendicante.

Statue of St. Elizabeth Queen of Hungary (1731/1732) de Giovanni Battista MainiPalácio Nacional de Mafra

Santa Isabel, Rainha da Hungria
Giovanni Battista Maini, c. 1732

Localizada no lado sul da fachada, a estátua representa Santa Isabel da Hungria ou Santa Isabel da Turíngia, uma princesa do Reino da Hungria, Landgravine da Turíngia, Alemanha, uma santa católica muito venerada. Foi um dos primeiros membros da Ordem Terceira de São Francisco, sendo por esta honrada como padroeira.

Moeda de cobre, Casa da Moeda, Lisboa, 1732, Da coleção de: Palácio Nacional de Mafra
Mostrar menosLer mais

Moeda de cobre cunhada em 1732, durante o reinado de D. João V, que foi recentemente encontrada debaixo da estátua de Santa Isabel da Hungria.

Estátua de Santa Clara de Assis (c. 1731) de Giovanni Battista MainiPalácio Nacional de Mafra

Santa Clara de Assis
Giovanni Battista Maini, c. 1731

Santa Clara de Assis foi a fundadora da Ordem Monástica das Damas Pobres, seguidora da tradição franciscana. A sua obra Regras para a Vida Sua foi a primeira directriz para a vida monástica escrita por uma mulher. Após a sua morte, o Papa Urbano IV mudou oficialmente o nome da Ordem das Damas Pobres para a Ordem de Santa Clara, em 1263. A estátua está localizada no lado sul da fachada, em frente a Santa Isabel da Hungria.

Saint Clare of Assisi, (detail) (1731) de Giovanni Battista MainiPalácio Nacional de Mafra

Santa Clara, vestida com o hábito Franciscano, com uma face serena, sinal de contemplação e oração.

Para a Basílica de Mafra, o escultor Giovanni Battista Maini esculpiu as estátuas de S. Miguel e São Gabriel; São-lhe também atribuídas as esculturas de Santa Clara e Santa Isabel da Hungria.
O escultor recebeu muitas encomendas da corte portuguesa mas hoje perdidas.Os seus trabalhos mais importantes foram o monumento funerário de Inocêncio X na igreja de Sant'Agnese em Agona, algumas estátuas na Piazza Navona e o monumento funerário de Neri Corsini em São João de Latrão. Maini, tal como o seu mestre Rusconi, modelavam sempre os seus trabalhos em gesso antes de os passarem a mármore.

Modelo da estátua de Santa Clara (1730) de Giovanni Battista Maini (1690-1752)Palácio Nacional de Mafra

Modelo da estátua de Santa Clara em terracota, enviado de Roma para aprovação do Rei.

Galilé da Basílica (1730) de João Frederico LudovicePalácio Nacional de Mafra

Narthex of the Basilica

A escolha dos escultores que trabalham para a Mafra foi muito cuidadosa, os melhores artistas para as estátuas mais importantes, colocadas nos locais mais visíveis e representativos como a fachada, a galilé e o altar-mor. Vários deste artistas trabalharam para outros importante monumentos em Itália, como a Fontana di Trevi.

Estátua de São Vicente (1731) de Carlo Monaldi (1691-1760)Palácio Nacional de Mafra

São Vicente
Carlo Monaldi, 1731

O mártir São Vicente está colocado no lado norte da porta principal da Basílica, oposto a São Sebastião. Esta representado usando uma rica dalmática bordada e uma estola, sobre uma alva com rendas, Na mão esquerda segura a palma do martírio e, ma direita, o livro do Evangelho. Aos pés, um dos corvos que acompanharam o barco que levou o seu corpo até Lisboa. Patrono desta cidade, São Vicente era uma santo de especial devoção da Família Real portuguesa.

Estátua de São Vicente (pormenor) de Carlo Monaldi (1691-1760)Palácio Nacional de Mafra

São Vicente - detalhe.

Assinatura de Carlo Monaldi (1731) de Carlo MonaldiPalácio Nacional de Mafra

Carlo Monaldi foi o autor da célebre estátua de S. Francisco de Assis e outras para a igreja de S. Pedro em Roma. Trabalhou também activamente para encomendadores portugueses. Terminado o seu trabalho no Vaticano em 1730, começou a esculpir para Mafra: os medalhões para a galilé e para a porta do convento e as estátuas de São Francisco de Assis, São Domingos, Santa Clara, São Sebastião, São Vicente, Santa Teresa, Santo Elias e São Filipe Neri. Muitas delas têm a assinatura do artista, como é o caso deste São Vicente.

Estátua de São Sebastião (1731) de Carlo Monaldi (1691-1760)Palácio Nacional de Mafra

São Sebastião
Carlo Monaldi, 1731

Estátua de São Sebastião, um soldado romano convertido ao Cristianismo e martirizado sob as ordens do imperador Diocleciano no século III. Protector contra a peste, guerra e fome. Está colocado do lado esquerdo da porta principal da igreja, Esta escultura, juntamente com São Vicente, são as maiores desta colecção (3,58 m),

Assinatura de Carlo Monaldi no capacete de São Sebastião, Carlo Monaldi (1691-1760), 1731, Da coleção de: Palácio Nacional de Mafra
Mostrar menosLer mais

Assinatura de Carlo Monaldi

Estátua de São Bento (c. 1731) de Giuseppe RusconiPalácio Nacional de Mafra

São Bento
Guiseppe Rusconi, c. 1731

São Bento, colocado no lado norte da galilé, foi outros dos fundadores de uma ordem religiosa, no caso os Beneditinos, Está representado com o Livro da Regra e envergando o hábito. São Bento foi o fundador do movimento monástico ocidental e é o patrono da Europa.

Estátua de São Bernardo de Claraval (pormenor) (c. 1731) de Giuseppe RusconiPalácio Nacional de Mafra

São Bernardo de Claraval
Giuseppe Rusconi, c.1731

Membro da Ordem de Cister, São Bernardo foi um importante reformador da Igreja Católica. O Livro de Regras que segura na mão, refere-se à tarefa de reforma a que dedicou a maior parte da sua vida. Aos pés, o diabo (serpente) enrolado em livros heréticos. Esta estátua está colocada no lado norte da galilé, em frente a São Bento.

Estátua de São Bruno (1732) de Giuseppe Lironi (atrib)Palácio Nacional de Mafra

São Bruno de Colónia
Giuseppe Lironi, c. 1732

Fundador da Ordem da Cartuxa, ou Ordem de São Bruno, em 1084. Representado com a cabeça rapada, sem barba e vestindo o hábito da Ordem. . O crucifixo que segura na mão têm o significado simbólico "A Cruz permanece intacta enquanto o Mundo dá a sua órbita", divisa da Ordem. Aos pés tem um crânio, símbolo de devoção mística. A estátua está colocada no lado sul da galilé.

Estátua de São João da Mata (1731/1731) de Pietro BracciPalácio Nacional de Mafra

São João da Matta
Pietro Bracci, c. 1731/32

São João da Matta é o co-fundador da Ordem Trinitária, juntamente com São Félix de Valois. A Ordem foi fundada em Roma para resgatar os cristãos cativos. Está representado com as cadeias quebradas dos cativos e uma cruz ao peito, os seus atributos habituais. A estátua esta colocada no lado sul da galilé.

Medalhão com a Virgem, o Menino e Santo António (1732) de Carlo MonaldiPalácio Nacional de Mafra

A Virgem, o Menino e Santo António
Carlo Monaldi, c. 1732

Medalhão em mármore de Carrara colocado sobre a porta principal da Basílica, representado a Virgem, o menino e Santo António, óragos da igreja. A Virgem segura o Menino e pousa a mão esquerda no ombro de Santo António, num gesto de protecção.

Estátua de Santa Teresa de Ávila (1731) de Carlo Monaldi (1691-1760)Palácio Nacional de Mafra

Santa Teresa de Ávila
Carlo Monaldi, c. 1731

Estátua de Santa Teresa de Jesus segurando o Livro das Carmelitas, que reformou. Esta escultura está localizada na galilé da Basílica, entre os outros reformadores das principais Ordens Religiosas.

Modelo para estátua de Santa Teresa de Ávila (1730) de Carlo Monaldi (1691-1760)Palácio Nacional de Mafra

Modelo em terracota para a estátua de Santa Teresa de Ávila ou de Jesus, enviado de Roma para aprovação do Rei.

Créditos: história

Créditos
Coordenação Geral: Mário Pereira

Curadores de exposição: M.ª Gabriela Cordeiro; Isabel Yglesias de Oliveira;

Créditos Fotográficos: DGPC / ADF / José Paulo Ruas / Luís Pavão / Manuel Silveira Ramos / DGPC / PNM; Sérgio de Medeiros

Homenagem Especial: Armindo Ayres de Carvalho (1911-1977); José Fernandes Pereira (1953-2012)

Créditos: todos os meios
Em alguns casos, é possível que a história em destaque tenha sido criada por terceiros independentes, podendo nem sempre refletir as visões das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Explore mais
Google Apps