Editorial Feature

A Magia Duradoura do Efeito Harry Potter 20 Anos Depois

Rebecca McNally, diretora de edição de livros infantis da Bloomsbury, fala sobre o poder que a série ainda tem


Rebecca McNally é diretora de edição de livros infantis da Bloomsbury. Parte do trabalho dela é garantir que os livros da série Harry Potter criados pela editora alcancem novas gerações de leitores. Isso se manifesta em projetos como as recentes edições da série Harry Potter da Bloomsbury ilustradas por Jim Kay. "Uma coisa boa sobre o mundo dos livros infantis é que sempre há novos leitores de oito a nove anos que não descobriram a alegria de Harry Potter ainda", diz Rebecca.

"É muito poderoso ser uma escritora de livros infantis porque seus livros estão em mãos dessas crianças, muitas vezes, criando uma fuga para quando elas estiverem em um momento ruim", ela continua. "Viver emoções, perigo, alegrias, escuridão e amor no conforto da sua poltrona é a magia da leitura. E é tão poderosa em Harry Potter em todos os sete livros".

Como conhece as maneiras pelas quais Harry Potter conseguiu capturar a imaginação de crianças (e adultos) em todo o mundo, aqui, Rebecca explica o impacto do chamado "efeito Harry Potter" e o significado desse efeito para o cenário da publicação infantil. Juntamente com as respostas de Rebecca, você vai encontrar alguns dos rascunhos anotados de JK Rowling, esboços iniciais de personagens e planos detalhados para uma visão ainda maior da criação de uma das séries de livros mais bem sucedidas de todos os tempos.

Estufa, Editora Bloomsbury (Da coleção da British Library)

O que significa o “efeito Harry Potter”?

O mais correto, provavelmente, é falar dos efeitos no plural. É difícil definir exatamente, mas existem alguns efeitos realmente concretos. Um deles se refere aos números do UK Bookscan [a operação que rastreia as vendas nos caixas de livrarias no Reino Unido]. Em 1998, havia cerca de 34 milhões de livros infantis vendidos, em 2016, eram 64 milhões, então, esse é um efeito muito palpável de Harry Potter. Obviamente, não é o único fator responsável por isso, mas acho que Harry Potter criou uma mudança de paradigma que tornou isso possível.

O outro efeito importante e maravilhoso é a magia de ler os livros e o efeito que eles têm sobre seus leitores. Para a primeira geração de leitores que cresceram com essa magia, a experiência era algo completamente novo. Ninguém sabia o que aconteceria naqueles livros, e eles ficavam esperando o próximo. De repente, a publicação de um livro era transformada em um acontecimento.

Agora, a literatura infantil como campo de atuação está cheia de talentos, e há uma nova geração de escritores chegando, que foram os fãs originais de Potter e cujo amor pelos livros e pela leitura foi moldado por essa experiência extraordinária.

De que forma, isso encorajou as crianças a continuar lendo?

Nos primeiros anos, o fenômeno de Harry Potter transformou os livros e a leitura em uma atividade compartilhada, e havia uma amplitude do poder de atração, o que trazia pessoas que não eram leitores habituais.

Curiosamente, ao mesmo tempo, no final dos anos 1990, no início dos anos 2000, houve muitas iniciativas realmente positivas em torno da leitura e alfabetização, o que realmente ajudou a promover o efeito. Em 1998, foi criado o ano nacional de leitura que teve apoio do governo e, depois, começaram a apoiar o Bookstart, que disponibiliza livros para crianças em idade pré-escolar gratuitamente.

A série Harry Potter, em si, é um farol para a magia da leitura que atraiu pessoas de todos os tipos de comunidades e ainda funciona!

Rascunho manuscrito do capítulo 17 de Harry Potter e a Pedra Filosofal, JK Rowling, Editora Bloomsbury (Da coleção da British Library)

Em que ponto Harry Potter deixou de ser apenas uma série de livros e se tornou um fenômeno cultural? Houve um ponto de transformação?

Se fosse para responder isso em termos de vendas brutas, foi a publicação do Prisioneiro de Azkaban. Depois disso, tudo começou a acelerar. Mais tarde, os filmes trouxeram novos públicos, então, os livros e filmes praticamente geravam público uns para os outros.

Acho que só agora podemos realmente dizer que Harry Potter é um fenômeno cultural persistente e importante. Faz 20 anos da publicação do primeiro livro, e há fenômenos que vão e voltam, mas Harry está claramente aqui para ficar.

O que diferencia Harry Potter de séries anteriores de sucesso como Os Cinco ou As Crônicas de Nárnia por exemplo?

Harry Potter quebrou muitas regras no mundo dos livros infantis. Nós costumávamos pensar que um livro para crianças nunca deveria ter mais de 60 mil palavras e que seus personagens deveriam permanecer com a mesma idade em toda a série.
A ficção de séries comerciais às vezes era bastante padronizada, embora bastante viciante. Você esperava que houvesse certos elementos e havia. Com Harry Potter, a trama levava você a lugares completamente novos.

Há elementos, em Harry Potter, que existem, naturalmente, em outros livros, mas combinar coisas que são muito comuns com uma explosão de imaginação realmente extraordinária, junto com a confiança de explorar temas extremamente sombrios e manter o tom de um livro de crianças. Foi simplesmente e incrivelmente novo e diferente. E ainda é até hoje.

Synopsis of Harry Potter and the Philosopher's Stone by J.K Rowling, Bloomsbury Publishing (From the collection of The British Library)

Não era esperado que os livros fossem fazer sucesso, na época. Qual o motivo disso na sua opinião? Como era o cenário editorial na época?

Em 1997, quando o primeiro livro foi publicado, a maioria das grandes editoras costumava ter uma divisão infantil, mas ninguém tinha expectativas comerciais significativas. Há muitas lendas sobre as origens de Harry Potter, como a que diz que o livro foi recusado por doze editores e depois chegou à Bloomsbury. Mas não se pode dizer que a Bloomsbury não tinha ambições para ele.

Eu não estava lá na época, mas sei que houve uma expectativa palpável sobre o livro. Mas antes de ser adquirido, o livro teve que ser aprovado por uma reunião que foi presidida por nosso fundador e diretor executivo, Nigel Newton. Nigel pegou os três capítulos que recebeu em casa e os entregou à filha dele de oito anos que escreveu um bilhete para ele dizendo que queria ler o resto imediatamente. A história criava um amor e uma expectativa genuína e, embora seja verdade que a Bloomsbury não pagou muito por ele, ninguém pagava muito por livros infantis naquela época! E acho que o que as pessoas pensavam ser um primeiro livro infantil de sucesso, na época, não era nada perto do que realmente aconteceu.

Qual é o papel da série na inspiração de outras ficções para crianças e jovens?

Acho que há uma geração inteira de escritores agora que são escritores porque se apaixonaram pela leitura de Harry Potter. Mas isso não significa que há um vínculo direto entre o conteúdo de Harry Potter e trabalho dessa nova geração.

Claro que, depois de Harry Potter, houve uma série de franquias verdadeiramente bem-sucedidas, como Crepúsculo, Jogos Vorazes, que são fenômenos por mérito próprio. Os fenômenos para jovens são interessantes porque tendem a ser mais cíclicos. Por exemplo, Crepúsculo dominou as estatísticas de livros por três ou quatro anos e, depois, foi sucedido por Jogos Vorazes. Harry Potter é diferente desses exemplos pela posição duradoura. Mesmo no ano passado, que foi o 20º aniversário do livro, nossa edição regular de Harry Potter e a Pedra Filosofal foi o 10º livro infantil mais vendido.

Esboço de Hogwarts de JK Rowling, Editora Bloomsbury (Da coleção da British Library)

Quais são os desafios quando uma série de livros tem tanto sucesso? Outros livros podem competir?

O fato é que, quando se trata de livros, não há realmente uma competição. No entanto, como editor ou como escritor, você gosta quando os livros ganham prêmios ou vendem bem. No longo prazo, o valor dos livros é realmente a experiência de lê-los.

Contudo, nada pode realmente competir com Harry Potter porque, para ser realmente honesta sobre isso, trata-se de um fenômeno que acontece uma vez por geração. Foi recentemente anunciado que a série já vendeu mais de 500 milhões de livros em todo o mundo, o que é uma quantidade extraordinária de livros.

Quando Harry Potter começou a ganhar ímpeto, houve pressão para encontrar a próxima grande série?

Naquele momento, definitivamente havia uma sensação de oportunidade. Acho que é isso que Potter criou na publicação infantil. Então, você pode ver isso como pressão ou também pode ver como algo que fez com que as pessoas vissem o potencial dos livros infantis de forma diferente.

As editoras ficaram entusiasmadas com o potencial de um livro alcançar um público tão amplo, e o impacto disso é visível até hoje. O mercado de livros infantis tem crescido consistentemente nos últimos cinco anos.

O que você diria sobre Harry Potter para convencer alguém que ainda não leu os livros a lê-los?

Para alguém que não leu os livros, eu diria que você tem que se permitir o tempo e espaço para ter a experiência real de ler a série toda. Permita-se perder-se nos livros.

Particularmente para os leitores adultos, às vezes, a amplitude e a ambição do texto de Jo realmente ficam claras no Prisioneiro de Azkaban. Acho que há um pico de fato. Você pode ver a construção dele em A Pedra Filosofa e A Câmara Secreta, mas, no terceiro livro, é o auge. Para mim, Azkaban é o favorito, mas não conte a ninguém!

Lista manuscrita de professores de matérias e nome de hipogrifos de JK Rowling, Editora Bloomsbury (Da coleção da British Library)
Words by Rebecca Fulleylove
Créditos: todas as mídias
Compartilhar esta história com um amigo
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil