Editorial Feature

Frida & I: o legado de Frida Kahlo capturado em um filme

Hannah Andrews sobre a importância de encontrar o equilíbrio entre artista e ícone

"Deixo-lhes meu retrato para que tenham minha presença todos os dias e todas as noites em que me ausentar". Será que Frida Kahlo previu quão verdadeiras essas palavras se tornariam? À medida que a imagem da artista fica mais onipresente do que nunca, Frida & I, um curta-metragem lançado em comemoração ao legado dessa pintora visto através dos olhos das mulheres inspiradas por ela., tenta encontrar um equilíbrio entre a influência de Frida como artista e como ícone.
 
Mais de 60 anos após a morte da pintora, com a imagem dela exposta em contextos que vão desde chaveiros até tênis de edição limitada da marca Converse, Frida é, sem dúvida, um ícone internacional. Esse é um status bem fundamentado: a força, a rebeldia e a forma de se expressar sem qualquer arrependimento que definem a artista e a obra dela são mensagens poderosas que ressoam de forma atemporal e universal, servindo como um modelo sólido a ser seguido pelo mundo todo.

Frida & I Behind the Scenes

Paradoxalmente, no entanto, com a notoriedade de Frida vem o perigo de perder a conexão com as obras dela. A curadora Julie Rodrigues Widholm afirmou o seguinte sobre a artista: “Muitas vezes, uma pessoa se torna tão famosa que ela fica invisível", fazendo com que o trabalho por trás da fama se perca.
 
Enquanto a “Fridamania” continua a crescer, temos que encontrar maneiras de manter nossa conexão com a arte que está por trás da artista, já que é por meio das pinturas que Frida compartilhou crenças, sentimentos e a história que continua a inspirar tantas pessoas. A rica trama de imagens nas pinturas dela é a chave para entendermos a honestidade psicológica e emocional, a exploração de gênero, nacionalidade e identidade e a retratação radical da experiência feminina que fazem com que o trabalho de Frida continue sendo universal nos dias atuais.
 
De que maneira podemos celebrar o impacto de Frida como um forte símbolo de autoexpressão, coragem e força e, ao mesmo tempo, manter uma conexão com as obras de arte na base desse status simbólico? Essa foi uma das principais perguntas por trás do filme Frida & I.

Frida & I Behind the Scenes

 Analisando a obra e a vida da artista pelas lentes contemporâneas da cantora e compositora mexicana Ely Guerra, Frida & I homenageia a pintora por meio da visão de outro talento feminino que vive o legado da artista, sem perder de vista as obras de arte que tornam esse legado tão poderoso. Concentrando-se na força das vozes de Frida e de Ely, o filme convida os espectadores a mergulhar na linguagem das pinturas de Frida, sem, no entanto, esquecer que um dos legados mais poderosos dela é o convite para que cada pessoa descubra a própria voz, a própria maneira de compartilhar crenças, sentimentos e histórias com o mundo.
 
Para capturar isso, o filme se desdobra ao redor da transformação física de Guerra em uma obra viva, de tirar o fôlego, inspirada na linguagem visual das pinturas de Kahlo e criada pela aclamada artista Alexa Meade. Ela também capturou o espírito de Kahlo e sua auto-expressão única; sendo uma artista singular, Meade usa o corpo e o estúdio de Ely Guerra para criar uma obra tridimensional em tamanho real. Ao fazer isso, Meade corajosamente pinta o legado de Frida Kahlo nos dias atuais, enquanto, ao mesmo tempo, cria um pano de fundo dramático sobre o qual a própria história de Guerra pode ser contada.

Ely Guerra and Alex Meade, Frida & I Behind the Scenes

Ely, que é uma artista mexicana conhecida tanto pelas letras românticas e de perda surpreendentemente honestas quanto pela imagem de estilo próprio, dialoga sem dificuldade com Frida. Em termos musicais, Ely está imersa em uma mistura de prazer e dor que a coloca como descendente do legado cultural de Frida, mas com uma individualidade feroz, não diferente daquela que fez com que o escritor e poeta André Breton chamasse Frida de “uma fita enlaçando uma bomba”.
 
Quando Ely é literalmente transformada em uma obra de arte por Meade, ela se torna cada vez mais uma parte do mundo de Frida que a envolve, um mundo narrado por Cristina Kahlo, curadora, fotógrafa e sobrinha-neta de Frida Kahlo. No entanto, em vez de mergulhar nesse mundo, o filme destaca a voz de Ely e a experiência dela de se expressar por meio da música: "A música é minha companheira, meu amor, meu ódio, minhas dúvidas e certezas, meu silêncio e meu barulho”.

Ely Guerra, Frida & I Behind the Scenes

O impressionante visual de Meade responde ao desafio de desenhar similaridades entre Kahlo e Guerra enquanto deixando claro diferenças críticas entre as duas mulheres: afinal, a maior similaridade entre as duas são suas impressionantes individualidades.

Esse equilíbrio entre a conexão e a auto-expressão única parece não somente verdadeira para a relação de Guerra e Meade com Kahlo, mas também com a nossa relação universal com sua obra de arte.

Alexa Meade, Frida & I Behind the Scenes

A cinematografia de Frida & I também foi pensada para criar um equilíbrio entre realismo documental e a natureza abstrata da interação com a arte e o mundo de Frida. Da mesma maneira que Frida contou a verdadeira história dela com a arte beirando o surreal, ao filmar com estabilizadores e usar cinematografia macro e uma rica iluminação, a cinematografia de Frida & I foi desenvolvida para romper os limites tradicionais de filmagem de documentários e deixar a obra em uma posição intermediária. Isso ficou enfatizado na composição das cenas. Cada cena foi equilibrada para sugerir a criação de uma pintura, mas mantendo a captura de Ely de forma natural e à vontade, estabelecendo novamente a ligação entre as obras de Frida, a influência dela e a vida real das mulheres que seguem os passos da artista hoje.
 
Encontrar o equilíbrio certo entre a Frida artista, ícone e a vivida por homens e mulheres dos dias atuais é um grande desafio, e Frida & I é apenas o começo. Afinal, é quase impossível definir o legado da artista, já que ele não só é algo vasto, mas também intensamente pessoal, vivido por cada indivíduo que se conecta de maneira diferente com os temas do trabalho dela. O objetivo de Frida & I é capturar esse sentimento, apresentando um convite para conhecer a voz única de Frida e usar isso como inspiração para encontrarmos nossa própria voz. Como dito por Ely: “Eu sou apenas a Ely, tentando entender a vida usando o melhor presente que recebi dela: uma voz”.

Ely Guerra, Frida & I Behind the Scenes
Words by Hannah Andrews
Créditos: todas as mídias
Compartilhar esta história com um amigo
Traduzir com o Google
Página inicial
Explorar
Por perto
Perfil