Artes Plásticas - rompendo padrões

A partir do século XX, uma sucessão de movimentos artísticos passam a questionar os padrões da arte até então ditados pela academia e seus ideais de beleza. A arte moderna substitui o "belo" pelo "novo", questionando as convenções, os valores burgueses e as regras das instituições e do mercado, em busca da liberdade criativa, expressando sua subjetividade. As obras desta galeria representam o Expressionismo, movimento artístico concentrado na Alemanha entre os anos de 1905 e 1930, que é conhecido como a arte do instinto. No Expressionismo, a subjetividade ganha contornos dramáticos nas pinceladas, os sentimentos ganham nova plasticidade. O amor, o medo, a solidão, o abandono, entre outros flagelos da humanidade são (re)signifcados sob a estética da dor e dão a noção exata de que, nesse movimento, os valores emocionais se sobrepõe aos intelectuais.

Kandinsky teoriza sobre a pintura,seu objetivo,suas sensações. Para ele, pintar é “encontrar a vida, tornar perceptíveis as suas pulsações, estabelecer as leis que as regem.”
O movimento geral da composição é ritmado, harmonioso. As cores são vivas e pretendem provocar sensações, emoções.
"O grito" é , sem dúvida, a mais famosa obra de Munch. Tristezas, obsessões e frustrações pessoais ganham formas e cores, em angustiantes representações, nas telas do pintor norueguês.
Como acontece com outras obras de Munch, a interligação do homem e natureza pode ser percebida. Aqui, a natureza e suas transformações, estão ligadas com a mudança e a evolução das gerações.
Munch retratava as mulheres ora como sofredoras frágeis e inocentes, ora como causa de grande anseio, ciúme e desespero.
Marc é considerado um dos mais influentes representantes do expressionismo alemão.
Entre os expressionistas alemães, artistas que usaram cores fortes e forma exagerada para expressar o conteúdo emocional, Marc, a partir de 1905, dedicou-se a representar o mundo com uma visão fresca e de purificação.
As obras Marc apresentam uma fusão de contrastes aparentes: visões do real e do simbólico. Acreditava que as cores eram dotadas de qualidades espirituais e significado simbólico .
As paisagens, nus e motivos religiosos de sua autoria o revelaram como um romântico entre os mestres do expressionismo. Considerado um degenerado pelos nazistas,sua obra foi retirada dos museus em 1937.
Os quadros de Emil Nolde, tal como pretendia, chocavam o espectador, devido à vivacidade das cores, que contrastavam abusivamente umas com as outras, à deformação dos rostos das personagens retratadas, à distorção das perspectivas e ao excessivo uso de tinta.
Credits: All media
This user gallery has been created by an independent third party and may not always represent the views of the institutions, listed below, who have supplied the content.
Translate with Google
Home
Explore
Nearby
Profile