MANDALAS

É uma palavra sânscrita, que significa Círculo. Mandala também possui outros significados, como círculo mágico ou concentração de energia. Universalmente a mandala é o símbolo da totalidade, da integração e da harmonia.Em várias épocas e culturas, a mandala foi usada como expressão científica, artística e religiosa. Podemos ver mandalas na arte rupestre, no símbolo chinês do Yin e Yang, nos mantras indianos, nas mandalas e thankas tibetanas, nas rosáceas de diversas catedrais e arquitetura em geral,  nas danças circulares, nos rituais de cura e arte indígenas, na alquimia, na magia, na arte sacra, etc. Também nas representações de harmonia e caos, na decoração, nos artesanatos, na tapeçaria, em vários seguimentos artísticos. A confecção de mandalas é uma técnica muito utilizada em dinâmicas de autoconhecimento, na meditação, em energizações. Carl Jung, conhecido como fundador da psicologia analítica, dizia que “A mandala possui uma eficácia dupla: conservar a ordem psíquica se ela já existe; restabelecê-la, se desapareceu. Nesse último caso, exerce uma função estimulante e criadora.” Ele estudou a mandala e a utilizou em seu consultório. Constatou que seus pacientes melhoravam ou relaxavam com o uso da mesma. Ele dizia que as mandalas poderiam trabalhar a Psique, atuando no processo de autoconhecimento do paciente. Ele  descobriu que as mandalas expressavam conteúdos interiores do ser humano. No seu estudo das manifestações do inconsciente, seus pacientes produziam de forma espontânea desenhos de mandalas, sem saber o que ela é ou o que estavam fazendo. Ele dizia que isso tende a acontecer com pessoas que progridem no seu processo de autoconhecimento e individuação. --> Na área educacional o uso de mandalas possibilita aos alunos o trabalho com técnicas diferenciadas, com desenho, pintura, artesanato, também utiliza conceitos como geometria, simetrias, opostos e relações de proporção, dimensão, além do uso de cores, combinações, formas diversas e estímulo a criatividade.

Amoghapasha, que significa laço infalível, refere-se a uma compaixão infalível como um laço que traz todos os seres cientes do sofrimento e em um estado de felicidade que conduz à iluminação.
Dos cinco Dyani budas, Vairocana é o único buda que pode ter mais de uma cabeça. Em sua forma Vajrashekhara ele tem quatro cabeças e oito mãos, mas geralmente aparece em pinturas.
Artista coreano, com diversas produções em instalações, pinturas e fotografias. Utiliza mandalas, padrões, caleidoscópios, etc. Fonte: http://www.akive.org/eng/artist/A0000319/Joongkeun%20Lee
Nesta instalação o artista reproduz suas mandalas coloridas em objetos do ambiente, proporcionando diferentes efeitos e estímulos visuais.
Refere-se aos chakras ou centros de energia do corpo sutil, ea experiência do grande êxtase da sabedoria associada a cada um desses chakras. O sistema enfatiza o ideal feminino de sabedoria.
PARK hYUN-KI é um renomado artista coreano. Estilo próprio e pioneirismo tornaram suas instalações extremamente originais. Fonte: http://english.donga.com/srv/service.php3?biid=2015012721548
Escultura em pedra, uma representação simbólica do universo que às vezes toma a forma de uma flor de lótus multi-pétalas. Fonte: http://artsearch.nga.gov.au/Detail.cfm?IRN=143517
Nesta instalação o artista expôs suas obras ao ar livre, integrando sua arte colorida de mandalas ao jardim organizado no museu. O incrível efeito proporciona um local delicioso para visitação
A Mandala Garbhadhatu. A praça central representa a fase jovem de Vairocana Buddha. Ele é cercado por oito Budas e bodhisattvas. Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Womb_Realm
Credits: All media
This user gallery has been created by an independent third party and may not always represent the views of the institutions, listed below, who have supplied the content.
Translate with Google
Home
Explore
Nearby
Profile