Sandro Botticelli- IFMA

Botticelli foi um dos mais importantes artistas do Renascimento Cultural. Italiano, nasceu em 1445 e morreu em 1510. Desde jovem, dedicou-se à pintura mostrando grande talento para as artes. Em suas obras seguiu temáticas religiosas e mitológicas. Este importante artista resgatou, de forma brilhante, vários aspectos culturais e artísticos das civilizações grega e romana. Chegou também a fazer retratos de pessoas famosas (príncipes, integrantes da burguesia e nobres) da época. As pinturas de Botticelli são marcadas por um forte realismo, movimentos suaves e cores vivas.

Trabalho destinado à disciplina de Arte, sob a orientação do professor Régis para obtenção parcial de notas. Botticelli foi um dos mais importantes artistas do Renascimento Cultural. Italiano, nasceu em 1445 e morreu em 1510. Desde jovem, dedicou-se à pintura mostrando grande talento para as artes. Em suas obras seguiu temáticas religiosas e mitológicas. Este importante artista resgatou, de forma brilhante, vários aspectos culturais e artísticos das civilizações grega e romana. Chegou também a fazer retratos de pessoas famosas (príncipes, integrantes da burguesia e nobres) da época. As pinturas de Botticelli são marcadas por um forte realismo, movimentos suaves e cores vivas.Uma de suas obras mais conhecidas, até os dias de hoje é “O Nascimento de Vênus”, que o pintor fez em 1485. Nesta linda obra, observamos a valorização das forças da natureza, o realismo e o resgate da mitologia romana.
A pintura utiliza a técnica de têmpera sobre madeira de choupo. Pintado por cerca de 1482 é um dos quadros mais populares na arte ocidental. É também uma das pinturas mais faladas, e mais controversas do mundo. Enquanto a maioria dos críticos concordam que a pintura retrata um grupo de figuras mitológicas num jardim (alegoria para o crescimento exuberante da Primavera), outros sentidos também foram dados ao quadro.
A pintura utiliza a técnica de têmpera e óleo sobre a tela. A obra Minerva e o Centauro foi concebida por Botticelli como um "anexo" de Primavera. Sabe-se que as duas obras estão de alguma forma relacionadas, pelo fato de que eram exibidas em conjunto no palácio de Lorenzo, e o padrão decorativo com o emblema da família Médici decorando as vestes de Minerva não deixa dúvidas sobre a origem de sua encomenda.
A pintura utiliza a técnica de têmpera sobre a madeira. Esta célebre obra, a primeira a propiciar ampla reputação a Botticelli nos círculos florentinos, foi executada por encomenda do novo-rico Guasparre del Lama. O comitente solicitou ao artista a inclusão de membros da família Médici no quadro, de forma a exprimir sua ligação com o poderoso clã. Botticelli também retratou a si mesmo na obra, junto à multidão de adoradores, no canto direito, olhando diretamente para o observador.
A pintura utiliza a técnica de têmpera e ouro sobre madeira.Obra típica da primeira maturidade de Botticelli, incorporando seus atributos de qualidade lírica do desenho e transparência tonal, essa obra pertenceu à coleção da família Barberini, em Roma.
Em nenhuma outra obra o artista utilizou tanto ouro. Tal abundância reflete, certamente, o desejo absoluto do comitente, pois o ouro era a cor mais cara à época e a quantidade de metal utilizado dependia do consentimento do patrono. Na obra, Maria é representada no ato de escrever as últimas linhas de um livro que dois anjos lhe estendem (o Magnificat, canto de glória da Virgem). Na página da esquerda, entretanto, é possível observar alguns versos da canção de São Zacarias, composta por ocasião do nascimento de seu filho, João Batista, padroeiro principal de Florença.
A pintura utiliza a técnica de têmpera sobre madeira. Último dos quatro que compõem a série sobre a vida de São Zenóbio. Aqui, o artista descreve em detalhes a ressurreição de uma criança morta e a morte de São Zenóbio, ocorrida em 422.
A pintura utiliza a técnica de têmpera sobre madeira. Existem três versões deste retrato, dispersos por museus de Bérgamo, Berlim e Washington. O retrato de Washington é tradicionalmente apontado como o protótipo, talvez realizado ainda durante a vida de Juliano de Médici. Segundo esta hipótese, as versões de Bérgamo e Berlim seriam cópias póstumas, devidas a assistentes de ateliê.
Este painel também contém as linhas mais decorativos visto até agora, encontrado como linhas de cor arabesco na roupagem e cabelos das figuras, e como a cor-de-cor cachos e rusgas na paisagem. Porque apenas estas três unidades são curvilíneas e detalhada, eles se movem os olhos pela página e no espaço profundo, mais uma vez ecoando o conteúdo narrativo da pintura, que retrata Cristo dizendo a Maria que ele deve em breve deixar ela voltar para o céu. A delicadeza e graça da linha neste painel apoia a natureza expressiva das figuras enormes e valoriza a expressão plástica do conteúdo ilustrativo.
Botticelli executou diversas versões da Adoração dos Reis Magos, tema particularmente popular em Florença, devido ao fato de que uma das organizações religiosas mais influentes da cidade era dedicada a eles. É provável que esta Adoração, entretanto, tenha sido pintada pelo artista quando ainda estava em Roma, chamado pelo Papa Sisto IV para auxiliar na decoração da futura Capela Sistina.
Credits: All media
This user gallery has been created by an independent third party and may not always represent the views of the institutions, listed below, who have supplied the content.
Translate with Google
Home
Explore
Nearby
Profile