Arte como forma significante

A arte como forma significante parte de um pressuposto acerca da natureza da arte: uma obra de arte é um objecto que provoca emoções estéticas no seu público que tem como característica a relação estabelecida entre as partes que a constituem. A teoria formalista baseia-se num raciocínio circular, pois define forma significante como aquilo que produz emoção estética e emoção estética como aquilo que a forma significante provoca.

Escolhemos esta imagem devido à perfeita combinação entre retângulos e quadrados. Esta imagem tem apenas duas cores, o que dá a sensação que o quadro está incompleto.
Esta imagem é composta por formas retangulares e quadrangulares. O artista pode-nos dar a entender que os objetos do dia-a-dia podem ser transformados em arte.
Escolhemos esta imagem devido à conjunção de círculos e das diversas cores que estes possuem. Esta imagem é atrativa à vista e proporciona emoção estética.
Embora esta imagem não nos transmite emoção, percebemos que está relacionada com arte como forma significante. Dizemos isto, porque nos dá a ver algumas formas geométricas e uma junção de cores quentes e frias.
Escolhemos esta imagem pelo contraste das cores. O artista conseguiu juntar cores frias e cores quentes e formas geométricas de modo a que o público observasse várias formas no seu conjunto.
Este quadro dá a sensação que os objetos nunca estão no mesmo sítio, ou seja, é uma imagem dinâmica.
Este quadro dá-nos a sensação de vários prédios juntos e alguns mais distantes (perspetiva). Com as cores utilizadas o artista mostra-nos um ambiente sombrio, medonho.
Credits: All media
This user gallery has been created by an independent third party and may not always represent the views of the institutions, listed below, who have supplied the content.
Translate with Google
Home
Explore
Nearby
Profile